terça-feira, 30 de agosto de 2005

Já estava prevendo que a semana que se iniciou ia ser um Deus-nos-acuda. Graças a Deus tenho muito a fazer. Hoje foi - acreditem - um dia tranqüilo. De manhã, após as aulas no ensino médio da rede pública, fui ao velório da mãe do amigo Jorge, professor de Matemática na escola E.E. Edda Cardoso de Souza Marcussi, escola da rede pública estadual onde leciono. Chegando lá, eu o vi conversando com uma mulher de baixa estatura, mas nem me dei conta de que era nada mais, nada menos que a prefeita de São Joaquim! E eis que um camarada meio embriagado "pega" a prefeita de jeito" e a entope de reclamações de cunho político e da atual situação da cidade! Impressionante a falta de respeito de muitos para com os momentos de dor dor de nossos semelhantes!
Por falar em dor, eu fiquei impressionado com a lucidez e a tranqüilidade com que o Jorge encarou a situação. Ele é kardecista (talvez seja por isso...) Eu ainda não sei como. De antemão, começo a prever que terei sérios problemas em lidar com perdas familiares...
À tarde comecei a ler um exame de qualificação de mestrado. Putz, que engraçado! Dia desses eu estava preparando minha qualificação e agora serei banca de uma... Meu Deus, o mundo tá girando muito depressa. Pára, que eu quero descer!
As aulas da noite foram boas. Eu me senti muito feliz porque percebi que os alunos entenderam o recado. Afinal, entender que é Postulado de Hammond e o que é retrossíntese não é nada fácil. Mas o melhor de tudo foram as minhas risadas diante de tanta brincadeira dos alunos... Foi muito bom mesmo!
A Renatinha e a Gláucia também visitaram esse blogger e gostaram do que viram. A Renatinha é uma amiga japonesa lá da pós-graduação lá de Ribeirão Preto, uma pessoa que fala muito pouco mas que demonstra, através de seus atos discretíssimos, que é uma pessoa doce e uma amiga muito legal. Ela está pretendendo terminar o Doutorado em fevereiro de 2006. Boa sorte, minha amiga! Você merece!
A Gláucia é uma amiga de graduação. Atualmente ela mora em Ituverava e namora há mais tempo que eu (espero que o pessoal que diga que eu estou enrolando A Débora possam ler isso...) Ela é sobrinha da mulher que foi diretora da E. E. Manoel Gouveia de Lima (a dona Elza Barbosa). Mundo pequeno, né? Abração Gláucia!
Deixo aqui os agradecimentos para aqueles que visitem esse blogger. Achei que ia ser "caso perdido", mas muitos estão me escrevendo e me incentivando a continuar. Hoje, por exemplo, cheguei na escola e estava todo mundo sabendo o que eu tinha feito no final de semana. Que doido!
Mensagem do dia. Ninguém sabe o preço.
Você vê estirar-se o fio condutor da eletricidade, seja na via pública ou no lar, mas não pode avaliar as tensões que suporta em sua intimidade, para que o progresso se implante gerando a claridade, movendo indústrias, salvando vidas. Você contempla a árvore florida ou carregada de frutos, exuberando no pomar. Contudo, dificilmente entenderá que ela deve resistir à ventania, à seca, às pragas e aos pesticidas, até conseguir estar apta para colaborar com a felicidade de quem se alimenta, de quem se veste, mora ou constrói mobiliário. Você observa a ponte resistente e valorosa que encurta distâncias, que facilita percursos e contribui para o progresso. Não compreenderá, talvez, o preço pago pelas toneladas que ela tem que suportar, as tensões mecânicas que precisa resistir para que o progresso se mantenha. Recebe, onde esteja, o fluxo da água potável, que dessedenta e que se torna utilidade para todos. Dificilmente você pensará no percurso longo de sua corrente, vencendo obstáculos, nas impurezas que lhe perturbaram a composição e nos produtos bioquímicos que teve que receber em seu seio, até estar em condições de alimentar a vida com boa qualidade. Você se deslumbra com a montanha altaneira que desafia as alturas, como um espetáculo de pedra imbatível. Não é comum que se analise, porém, tudo quanto ela deverá resistir para manter-se sobranceira como se mostra: os ventos permanentes, como permanentes lixas a consumir-lhe a superfície; os gelos que o inverno produz, fragilizando-lhe a constituição; os movimentos que lhe sacodem as bases, enquanto o planeta se altera; a modificação dos seus minérios em argila e areia, com o passar dos milênios. Deveríamos viver copiando a natureza, dando conta do nosso dever sem mais nada que nos conturbasse a ação. Por mais que ofereçamos alegria e bem-estar a quem for, por maiores os elogios que nos sejam dirigidos ou por mais duros os comentários a nosso respeito, consideremos que só nós mesmos sabemos o que nos custa para ser como somos. Jamais nos exaltemos, então, nem nos sintamos desprezados, pois que, além das nossas aparências, o que legisla é a nossa realidade íntima, que pouca gente consegue ver. Não se exiba. Não cobre reconhecimento. Dê o que possa e como possa como contribuição à vida, rumando de alma tranqüila e entusiasmada para a sonhada felicidade. Se o desalento lhe visita a alma, porque ninguém valoriza os esforços que você tem feito para melhorar-se intimamente... Se pensa em desistir, julgando inúteis as renúncias em favor dos filhos que o Criador confiou aos seus cuidados... Se o desânimo lhe convida a abandonar a luta nobre, a decisão de ter dignidade e viver conforme os ensinamentos cristãos, pare um pouco e medite... É que ninguém, neste mundo, sabe o preço... Mas o Sublime Jardineiro colhe cada fruto produzido nos jardins secretos da sua alma... Ele sabe o preço dos seus esforços, da sua renúncia, da sua abnegação e lhe retribuirá de conformidade com as suas obras. Por tudo isso, confie Nele e não pense jamais em desistir...
Frase do dia. "Não são os anos que envelhecem, mas sim a idéia de ficarmos velhos. Há homens que são jovens aos oitenta anos e outros que são velhos aos quarenta." (Emílio Coué)
Piada do dia. Namoro judeu
Um sujeito queria namorar a filha de um judeu e foi pedir ao pai.
O velho disse:
- Acho que não vai dar certo, porque os judeus têm uma visão muitodiferente da vida. Para provar que não estou com nenhuma discriminação,vou lhe dar uma maçã e amanhã conversamos novamente.
No dia seguinte ele voltou à casa do judeu que lhe perguntou:
- O que você fez com a maçã?
- Fiquei com fome e a comi.
- Tá vendo?Um judeu tiraria a casca da maçã, a colocaria para secar e faria um chá. Dividiria a maçã em quantos pedaços fossem os membros de sua família e daria um pedaço para cada um.Depois pegaria os caroços, venderia alguns e plantaria outros, pois assimteria um lucro e ainda frutos dentro de algum tempo. Bom, vou lhe dar outra chance. Leve este pedaço de lingüiça e volte a falar comigo amanhã! O cara saiu de lá puto e pensando o que poderia fazer para aproveitar bemaquela lingüiça.
No dia seguinte a mesma pergunta:
- Filho, o que você fez com aquela lingüiça?
- Bem, primeiro tirei o cordãozinho e fiz um cadarço para meu tênis. Depois tirei o plástico que protege a lingüiça e o guardei.Dividi a lingüiça em 8 pedaços e dei um pedaço para cada membro da minha família.Depois fiz uma camisinha com o plástico, comi sua filha e aqui está o "leite" para o senhor fazer um cappuccino.

Nenhum comentário: