sexta-feira, 26 de agosto de 2005

Quinta-feira foi um daqueles dias improdutíveis. Meu corpo, todo dolorido, parecia pedir cama. O nariz começou a congestionar, dando sinais de que uma nova gripe está próxima... Para completar, a tendinite atacou-me o braço e não pude dar continuidade aos esquemas para o livro. Tive que comprar um mouse óptico para ver se melhorava. E não é que melhorou mesmo? O problema é acostumar com aquela luz vermelha que fica piscando. Parece até boate... No final da tarde, já bem abatido, tive que tirar um cochilo. Acabei piorando, pois acordei com dores no ombro (devo ter dormido em cima dele...)
À noite, fui com os alunos do ensino médio assistir a uma palestra sobre sexualidade na adolescência, com a Marisa, uma ginecologista aqui da cidade. Espero que sexta-feira seja um dia mais proveitoso, pois ninguém merece um outro dia "emocionante" como esse ...
Túnel do tempo. Todos dizem que eu nasci horrível. Eu devia ser muito peludo, pois minha mãe sentiu muita azia durante a minha gestação. Resultado: eu nasci branquelo, olhos azuis, careca, de costeletas e com a pele escamando... Meu pai brinca e diz que o médico nos sugeriu que me levassem de volta caso eu latisse. Olha que maldade... À medida que fui crescendo fui me tornando cada vez mais bonito. Se vocês duvidam, basta olhar a foto de hoje. O problema é que a fase foi passageira e eu fui ficando "feioso" à medida que fui crescendo. O pior é que eu acho que essa fase é definitiva...
Mensagem do dia. A força do amor
Eram noivos e se preparavam para o casamento, quando o pai da noiva descobriu que o rapaz era dado ao jogo. Decidiu se opor à realização do matrimônio, a pretexto de que o homem que se dá ao vício do jogo, jamais seria um bom marido. Contudo, a jovem obstinada decidiu se casar, assim mesmo. E conseguiu, fazendo valer a sua vontade, vencendo a resistência do pai. Nos primeiros dias de vida conjugal, o rapaz se portou como um marido ideal. Entretanto, com o passar dos dias, sentia crescer em si cada vez mais o desejo de voltar à mesa de jogo.
Certa noite, incapaz de resistir, retornou ao convívio de seus antigos companheiros. Em casa, a jovem tomou um bordado e ficou aguardando. Embora ocupada com o trabalho manual, tinha os olhos presos ao relógio. As horas pareciam passar cada vez mais lentas. Já era alta madrugada, quando o marido chegou. Nem disfarçou a sua irritação, por surpreender a companheira ainda acordada. Logo imaginou que ela o esperava para censurar a sua conduta. Quando ele a interrogou sobre o que fazia àquela hora ela, com ternura e bondade na voz, disse que estava tão envolvida com seu bordado, que nem se dera conta da hora avançada.Sem dar maior importância à ocorrência, ela se foi deitar.
No dia seguinte, quando ele retornou ainda mais tarde da casa de jogos, a encontrou outra vez a esperá-lo. "Outra vez acordada?", perguntou ele quase colérico. "Não quis que fosse se deitar, sem que antes fizesse um lanche. Preparei torradas, chá quentinho. Espero que você goste." E, sem perguntar ao marido onde estivera e o que fizera até aquela hora, a esposa o beijou carinhosamente e se recolheu ao leito.
Na terceira noite, ela o esperou com um bolo delicioso, cuja receita lhe fora ensinada pela vizinha. Antes mesmo que o marido dissesse qualquer coisa, ela se prendeu ao pescoço dele, abraçou-o e pediu que provasse da nova delícia. E assim, todas as madrugadas, a ocorrência se repetiu. O marido começou a se preocupar. Na mesa de jogo, tinha o pensamento menos preso às cartas do que à esposa, que o esperava, pacientemente, como um anjo da paz. Começou a experimentar uma sensação de vergonha, ao mesmo tempo de indiferença e quase repulsa por tudo quanto o rodeava. O que ele tinha em casa era uma mulher que o esperava, toda madrugada, para o abraçar, dar carinho. E ele, ali, naquele lugar? Aos poucos, foi se tornando mais forte aquele incômodo. Finalmente, um dia, de olhar vago e distante, como se tivesse diante de si outro cenário, o rapaz se levantou de repente da mesa de jogo. Como se cedesse a um impulso quase automático, retirou-se, para nunca mais voltar.
Nos dias de hoje, é bem comum os casais optarem por se separar, até por motivos quase ingênuos. Poucas criaturas decidem lutar para harmonizar as diferenças, superar os problemas, em nome do amor, a fim de que a relação matrimonial se solidifique. Contudo, quando o amor se expressa, todo o panorama se modifica. É difícil a alma que resista às expressões do amor. Porque o amor traz a mensagem da plenificação, do bem estar, da alegria. Desta forma, é sempre salutar investir no amor, expressando-o através de gestos, pequenas atenções, gentilezas. O amor é o sentimento por excelência e tem a capacidade de transformar situações e pessoas.
Frase do dia. "O degrau de uma escada não serve simplesmente para que alguém permaneça em cima dele, destina-se a sustentar o pé de um homem pelo tempo suficiente para que ele coloque o outro um pouco mais alto" (Thomas Huxley)
Piada do dia. Sermão de padre iniciante
O novo Padre da paróquia estava tão nervoso no seu primeiro sermão que quase não conseguiu falar. Antes do seu segundo sermão, no domingo seguinte, perguntou ao arcebispo como poderia fazer para relaxar. Este lhe sugeriu que na próxima vez, colocasse umas gotas de vodka na água e que depois de uns goles estaria mais tranquilo. No domingo seguinte aplicou a sugestão e sentiu-se tão bem, que poderia falar alto até no meio de uma tempestade, de tão feliz e descontraído que se encontrava. Depois de regressar à reitoria da Paróquia encontrou uma nota do Arcebispo dizendo-lhe: "Prezado Padre... Seguem algumas observações: - Na próxima vez, coloque gotas de vodka na água e não gotas de água na vodka. - Não coloque limão e açúcar na borda do cálice. - O manto da imagem de Nosso Senhor Jesus Cristo não deve ser usado como guardanapo. -Existem 10 Mandamentos e não 12. - Existiram 12 Apóstolos e não 10. - Judas não enforcou Jesus; e Tiradentes não tem nada a ver com a história. - A hóstia não é chicletes; portanto evite tentar fazer bolas. - Aquela 'casinha' é o confessionário; não o banheiro. - Evite apoiar-se na imagem de Nossa Senhora, muito menos abraçá-la. - A iniciativa de chamar o público para cantar foi louvável, mas fazer trenzinho e correr pela igreja foi demais... - Água benta é para se benzer e não para refrescar a nuca. - Nunca reze a missa sentado na escada do altar; muito menos com o pé sobre a Bíblia Sagrada. - As hóstias devem ser distribuídas para o povo; jamais usadas como aperitivo para acompanhar o vinho. - Procure usar roupas debaixo da batina. - Evite abanar-se com a batina quando estiver com calor. - Jesus nasceu em Belém, mas isto não significa que ele seja paraense. - Numa missa não se deve fazer perguntas ao público. - Também não se deve pedir ajuda aos universitários. Até porque eles não sabem nada. Pelos 45 minutos de missa que acompanhei, notei essas falhas. Lembro que uma missa leva em torno de uma hora, e não dois tempos de 45 minutos. Quem peca é um PECADOR; não um filho da puta. Quem peca vai para o INFERNO; e não 'pra puta que o pariu'. Espero que tais falhas sejam corrigidas já para o próximo domingo. Atenciosamente, O Arcebispo (Obs: Aquele sentado no canto do altar, ao qual se referiu como "travecão de vestido", era eu, seu 'f.d.p.').

Nenhum comentário: