segunda-feira, 29 de agosto de 2005

Sábado, 27 de agosto de 2005. Neste dia a Débora, minha querida namorada (melhor chamá-la de super-heroína!), completou 26 anos de vida. Acordei às 8h20min, mas só o fiz porque havia combinado de encontrá-la às 9h. Não deu outra: cheguei às 9h15min. Como os tais 15min foram caros! Com todo o jeito que lhe é peculiar, ela fez-me enxergar, após 1h30min de conversa muito franca, que o atraso é uma falta de consideração enorme, principalmente quando ocorre no dia do aniversário. Presenteei-a com um óculos de sol que havia lhe prometido desde que, em um abraço apertado, quebrei-lhe o anterior... Comprei também um par de sapatos e passamos o restante do dia juntos. No final das contas, ela reconheceu que foi um ótimo dia, apesar do meu atraso no início. Aprendi a lição: não combino mais horário nenhum para ela não chegar atrasado...
No domingo, fiz uma faxina no meu carro (já era tempo...). Almocei uma costelinha cozida "no capricho" que o papai fez (ele adora cozinhar!) e, de sobremesa, lá estava a minha fruta predileta: melancia! Tomei um banho e fomos então ao Novo Shopping de Ribeirão Preto.
Repartimos uma batata recheada de cheddar parisiente (que delícia!) e depois assistimos ao filme "Procura-se um amor que goste de cachorros" (o título era mais ou menos isso...). É uma comédia romântica muito interessante. Vale a pena, eu recomendo aos que ainda não assistiram.
O balanço do final de semana foi bom, com exceção do resfriado com que eu e ela fomos acometidos por causa do ar condicionado do shopping...
Mensagem do dia. Aos consumidores de drogas Talvez você já tenha dito ou ouvido a infeliz afirmativa: "se eu uso drogas, o problema é meu, e ninguém tem nada a ver com isso. A droga só a mim prejudica" Se você pensa dessa maneira, gostaríamos de lhe convidar a fazer algumas reflexões a respeito, sob outro ponto de vista. Você já deve ter visto, ao vivo, pela TV ou nos jornais, a triste imagem de uma criança de oito anos de idade ou de um adolescente de doze, com uma metralhadora na mão, a serviço dos traficantes de drogas, não é mesmo? São cenas chocantes e deprimentes, você há de convir... No entanto, você jamais deve ter pensado que, usando drogas, está colocando o dinheiro na mão do traficante para que ele compre a arma e a coloque nos ombros dessas crianças. Você já deve ter visto o sórdido espetáculo de uma mãe desesperada, com o coração sangrando e o rosto banhado em pranto, debruçada sobre o cadáver do filho querido que foi morto tentando fazer com que a "mercadoria" chegasse às suas mãos. Você, que é consumidor, talvez não tenha se dado conta, mas é um dos responsáveis pela violência gerada nesse disputado mercado das drogas. Você, que é usuário de drogas, ainda que seja de vez em quando, está contribuindo com a corrupção nutrida no submundo das drogas, e fomentado a disputa sangrenta pelo consumidor, que enche os bolsos dos poderosos do tráfico, dizimando vidas e matando esperanças. Lamentavelmente, a grande maioria desses consumidores não percebe que o mal que causam está longe de ser "um problema seu", como afirmam. Não se dão conta de que seu vício é alimentado com sangue e lágrimas de muitos. Em nome da satisfação de seu egoísmo, o consumidor de drogas deixa um rastro de sangue sem precedentes... E responderá por isso perante as leis divinas, sem dúvidas. Recentemente as mídias noticiaram o assassinato de um jornalista, que foi executado a sangue frio pelos "donos do pedaço" que ele invadira no cumprimento do seu dever de profissional comprometido com a verdade. O povo se manifestou. Houve passeatas, protestos e pedidos de justiça. Muito louvável, não há dúvida. Mas, quantos daqueles que empunharam a bandeira da paz e da justiça não terão contribuído para que aquela execução se realizasse? Quantos executivos que, sentados em suas poltronas de luxo criticam a violência, sem se dar conta de que esta é alimentada pela farta mesada que colocam nas mãos de filhos viciados. Você há de concordar que não haveria esse mercado infame das drogas se não houvesse o consumidor. Quando vemos a cínica expressão de um prisioneiro que comanda o terror de dentro da prisão, temos que admitir que ele age dessa forma porque tem "costas quentes", e está seguro de que nada lhe acontecerá. E você, que é consumidor de drogas, está financiando esse mercado bilionário, alimentando esses tiranos cruéis que enriquecem graças a sua frágil vontade de encarar a vida de frente e de mente lúcida. Mas essas não são as únicas desgraças que um viciado provoca. Há aquelas que acontecem dentro do seu próprio lar. Aquelas capazes de dilacerar um coração de mãe ou de pai, de irmão ou de filho, com atitudes inconseqüentes e egoístas. Se você ainda não havia pensado nessa questão sob esse ponto de vista, pense agora. E, se pensar com sinceridade, perceberá que o vício está longe de ser um problema só seu, que só a você prejudica. Faça um balanço urgente e tome a decisão acertada: boicote as drogas. Empobreça esses abutres que se alimentam das vidas dos dependentes descuidados. Se lhe faltarem as forças, busque ajuda de profissionais especializados e confie seu coração àquele que foi e continua sendo O maior Psicoterapeuta de todos os tempos: Jesus Cristo. Seu atendimento é gratuito, basta buscá-Lo através da oração. Se as drogas ainda não destruíram por completo o seu senso crítico, reflita agora sobre tudo isso e mude o rumo dos seus passos. Temos certeza de que você conseguirá!
Frase do dia. "Pensar para acertar. Calar para resistir. Agir para vencer." (Renato Kehl)
Piada do dia. Suzuki, o Japones sabido!
No primeiro dia de aulas numa escola secundária dos EUA aprofessora apresentou aos alunos um novo colega, Sakiro Suzuki, do Japão.
A aula começa e a professora:
-Vamos ver quem conhece a história americana. Quem disse: 'Dê-me a liberdade ou a morte'?
Silêncio total na sala. Apenas Suzuki levanta a mão:
- Patrick Henry em 1775 em Filadélfia.
- Muito bem, Suzuki. E quem disse: 'O estado é o povo, e o povonão pode afundar-se'!
Suzuki: - Abraham Lincoln em 1863 em Washington.
A professora olha os alunos e diz:
- Não têm vergonha? Suzuki é japonês e sabe mais sobre a história americana que vocês!
Então, ouve-se uma voz baixinha, lá ao fundo:
- Vai tomar no cu, japonês de merda!
- Quem foi?, grita a professora.
Suzuki levanta a mão e sem esperar, responde:
- General McArthur em 1942 em Guadalcanal, e Lee Iacocca em 1982 na Assembléia Geral da Chrysler.
A turma fica super silenciosa, apenas ouve-se do fundo da sala:
- Acho que vou vomitar.
A professora grita:
- Quem foi?
E Suzuki: - George Bush (pai) ao Primeiro-Ministro Tanaka durante um almoço, emTókio, em 1991.
Um dos alunos levanta-se e grita:
- Chupa o meu pau!
E a professora irritada:
- Acabou-se! Quem foi agora?
E Suzuki, sem hesitações:
- Bill Clinton à Mônica Lewinsky, na Sala Oval da Casa Branca, em Washington, em 1997.
Um outro aluno se levanta e grita:
- Suzuki é uma merda!
E Suzuki responde:
- Valentino Rossi no Grande Prêmio de Moto no Rio de Janeiro em 2002.
A turma fica histérica, a professora desmaia, a porta se abre e entra o diretor que diz:
- "Que merda é essa, nunca vi uma confusão destas!"
Suzuki:
- Lula para o ministro da casa civil José Dirceu, após asdenúncias do mensalão... Jun/2006, em Brasília.

Nenhum comentário: