segunda-feira, 22 de agosto de 2005

Segunda-feira, 22 de agosto de 2005. Acordei 6h30min. As aulas no ensino médio começaram às 7h. Como sempre, essas aulas são uma aventura e nada é previsível. Confesso que meu humor pela manhã não é dos melhores, mas não tem como não rir das coisas que os alunos dizem. Dá gosto de ver como são alegres e cheios de vida. É uma verdadeira terapia. Tenho que concordar que não há, da parte deles, muito interesse pela aprendizagem, mas aos poucos tenho conseguido alguns avanços. Prender a atenção e ter o respeito deles já é uma enorme conquista. E chegar até o momento do sinal de saída sem ter alterado o meu humor é outro feito memorável (incrível como eles conseguem fazer-me rir e ficar puto em questão de segundos!) À tarde, consegui fazer alguns esquemas para o livro que estou tentando escrever. Não sei quando irei terminá-lo, mas comunico vocês assim que chegar o momento certo. Também fiquei tentando "negociar" minha inscrição para o congresso de espectrometria de massas. A inscrição é uma fortuna (R$550,00), pelo menos quando comparado ao meu saldo bancário (é, a minha conta já "menstruou" esse mês...) Se a universidade não bancar... bom, aí vou ter que deixar a oportunidade de perder uma palestra do John Fenn, o Prêmio Nobel de Química de 2002... À noite as aulas foram um pouco tumultuadas. Nesta semana estão promovendo a Semana da Química e, juro, achei que não fosse encontrar alunos por lá. Enganei-me. O 2o. A e os 3os. A e B estavam lá de plantão, dizendo que estavam à minha espera para assistirem às aulas de Química Orgânica. Eu poderia até sentir-me lisonjeado, não fosse o problema que isso acabou causando. No segundo horário, as aulas seriam no 30. B, mas o pessoal do 30. A também queria assistir... O problema foi que eles não se misturam e, por isso, não quiseram assistir às aulas juntos... Houve alguns momentos de tensão. Alguns, alunos, um pouco mais exaltados, preferiram ir embora. Sério mesmo: eu não sei como agir nesse tipo de situação. O meu negócio é dar aulas. E pronto. No ônibus, voltamos assistindo a um filme chamado de "Jurí" (se não me engano), com Dustin Hoffmann e Gene Hackmann (é, aquele que interpretou o Lex Luthor no filme do Superman em 1978!). Não foi tão ruim como o Edvaldo disse (Edvaldo é o colega responsável por alugar os filmes para assistirmos no busão...). Já vi que o negócio dele é mesmo filme de terror... Túnel do tempo. Tive a idéia de colocar neste espaço uma foto antiga, para que saibam um pouco mais sobre o meu passado. Essa moça da foto é a minha tia Ângela. Posso considerar que ela é minha terceira mãe (tenho também a mamãe e a vovó Maria). Ela é irmã da minha mãe e, por ser solteira e não ter filhos, considera a mim e à minha irmã como seus filhos. Se eu concluí a universidade, eu o fiz graças à ela, que contribuiu durante dois anos e meio com meia mensalidade... Que Deus a abençoe e lhe recompense com bastante saúde. Acreditem: essa criança nos braços dela sou eu! Fala sério: eu era ou não era um bebê lindo? Piada do dia. Essa aqui vai em homenagem ao Michel (fala aí, mestrão!), que visitou este blogger e gostou. Estavam Romeu e Julieta sozinhos numa noite de luar, muito romântica, conversando: - Romeu...Não queres que eu pegue em seu membro com minhas mãos e o acaricie com toda a delicadeza, para você sentir intenso prazer?- De jeito nenhum... Como podes usar estas mãos tão lindas e puras para fazer algo assim? - Meu amor, queres então que eu pegue este seu varonil membro e o coloque entre os meus seios e pernas, para que você sinta um prazer duradouro e maravilhoso? - Jamais! Nunca permitiria que estas partes tão privadas, tão brancas e sem manchas sejam tocadas por uma parte tão impura de meu corpo... -Ah! Amado meu... E se você introduzisse este grande e viril pedaço de carne dentro de minha boca, para que eu possa lhe proporcionar um imenso e louco prazer? - Nunca, jamais! Não posso sequer pensar que meu membro possa tocar nesta boca tão linda e pura, que existe só para dizer palavras de amor e carinho... - Está certo, Romeu. Vamos então pensar em outra coisa qualquer para você tirar seu pau do meu cu, porque já está ardendo pra caralho...! Mensagem do dia. Segue aqui uma das lindas mensagens que a minha amiga Lâmia me envia todos os dias. A Lâmia é secretária do Departamento de Química da USP de Ribeirão Preto, onde eu fiz pós-graduação. A gente conversava bastante e ela sempre me deu (e ainda me dá) muita força. É uma pessoa espiritualmente muito forte. Tenho o privilégio de tê-la conhecido durante os seis anos que lá estive. Obrigado pela sua amizade, Lâmia! Voar como as pipas Vento contra é pra gente voar... Você já viu uma Pipa voar a favor do vento? Claro que não. Frágil que seja, de papel de seda e taquara, nenhuma se dá ao exercício fácil de voar, levada suavemente pelas mãos de alguma corrente. Nunca.Elas metem a cara. Vão em frente. Têm dessa vaidade de abrir mão de brisa e preferir a tempestade. Como se crescer e subir fosse descobrir em cada vento contrário uma oportunidade. Como se viver e brilhar fosse ter a sabedoria de ver uma lição em cada dificuldade. No fundo, no fundo, todo mundo deveria aprender na escola a empinar pipas, pandorgas ou raias. Para entender desde cedo, que Deus só lhes dá um céu imenso porque elas têm condições de o alcançar. Assim como nos dá sonhos, projetos e desejos, quando possuímos os meios de os realizar. De tempos em tempos, voltaríamos às salas de aula das tardes claras só para vê-las, feito bandeiras, salpicando o azul. Assim compreenderíamos, de uma vez por todas, que pipas são como pessoas e empresas bem sucedidas: usam a adversidade para subir às alturas. Frase do dia. "Quase todos os homens são capazes de suportar adversidades, mas se quiser por à prova o caráter de um homem, dê-lhe poder." (Abraham Lincoln)

Nenhum comentário: