quinta-feira, 15 de setembro de 2005

Nesta quinta-feira fui forçado a refletir sobre a triste realidade dos alunos do ensino médio da rede pública. A Ivani tinha pedido para que eu entregasse aos alunos do noturno um boletim informativo sobre o vestibular da Unesp. Seriam sorteados dois manuais de inscrição e duas inscrições para dois alunos daquela 3a. série do ensino médio. Entreguei-lhes também um guia de profissões para que eles pudessem analisar qual profissão eles gostariam de seguir. De súbito, ocorreu-me que a maioria deles não tinha conhecimento específico suficiente para prestar o vestibular. Um sentimento de culpa horrível assolou-me naquele momento! Afinal, será que estou realmente fazendo a minha parte? Será que estou conduzindo a situação como deveria? Enfim, será que sou um bom professor? Será que eu sou o professor que eu sempre sonhei ser? Para minha tristeza, as respostas são negativas para todas essas perguntas (pelo menos na minha concepção).
Outra tristeza, talvez ainda maior, foi ouvir de muitos alunos que eles não se interessaram em prestar aquele vestibular porque, caso fossem aprovados, não teriam condições financeiras de se sustentar na cidade para onde, inevitavelmente, teriam que se mudar. Acho que realmente preciso mudar a direção da minha vida... A sensação de que dar aulas no ensino médio não é mesmo a minha praia toma vai ganhando força a cada dia...
Devido à falta de água, as aulas foram mais curtas – apenas 30min cada. Fomos então dispensados mais cedo que de costume. Com isso, ainda tive tempo de tomar um sorvete com a Débora e desabafar o que eu estava sentindo. É, realmente sou privilegiado por ter uma companheira como ela ao meu lado...

Nenhum comentário: