sexta-feira, 9 de setembro de 2005

A sexta-feira normalmente é um dia muito especial para mim. Ela significa que a semana chegou ao seu final e no dia seguinte vamos poder acordar mais tarde (embora eu tenha exercido esse direito com pouca freqüência...) Mas essa sexta-feira em particular foi um tédio só... Não foi à toa que demorei para postar essa mensagem. Afinal, com tanta rotina, o que teria eu para escrever????
De qualquer forma, fui à escola de manhã e notei que havia um silêncio pouco comum. Os alunos faltaram em massa e os poucos que foram à escola assistiram a um vídeo sobre sexualidade e doenças sexualmente transmissíveis. Tratava-se de algumas fitas (acho que umas 5) muito educativas sobre o tema. Neste pequeno período em que estou na rede pública acompanhando os jovens, notei claramente que a gravidez na adolesência não é, nem de longe, falta de instrução: é falta de juízo mesmo! Que pena...
No intervalo, bati o maior papo com a Soninha, que é professora de Artes. Uso aqui o diminutivo em alusão ao tamanho dela (acredito que seja algo entre 1,50 e 1,55 m). Tornamo-nos amigos em função da Débora, com quem ela trabalha na prefeitura municipal de Orlândia. Ela é uma pessoa muito divertida e, mesmo quando está nervosa, causa sempre muitas risadas. Rimos muito e acredito que aquelas risadas tenham sido as melhores desta sexta-feira tediosa... Logo após o recreio, encontrei a Liliam. Ela é uma amiga da minha irmã e que, por viajarmos no mesmo ônibus para a faculdade, tornou-se minha amiga também. Apresentei-a à Soninha e pedi para que a Soninha lhe dissesse algo sobre a sua experiência de ser professora da rede estadual de ensino (é sempre bom ouvir a voz de quem tem mais experiência do que a gente!)
Após sair da escola, passei na casa do prof. Jorge, um professor de Matemática (aquele cuja mãe faleceu recentemente, conforme eu mencionei aqui semana passada). Ele havia me pedido para instalar o AutoCad no computador dele mas, não sei se por erro meu, do software ou do computador, acho que ficou pior do que estava... Fiquei muito chateado e morrendo de vergonha, principalmente porque não soube dizer o que estava realmente acontecendo.
Após o almoço, viajei à Franca para reunir-me com a Marcele, a minha (des) orientanda de Mestrado. Bom, pelo menos esse era o objetivo... O fato é que eu “tomei um bolo”, pois havia me esquecido que na sexta-feira e no sábado não haveria aulas na pós-graduação. De qualquer forma, aproveitei para mostrar ao Wilson alguns rascunhos do livro e ele gostou muito. Na verdade, ele ficou é assustado com o trabalho que eu tenho pela frente... À noite não havia alunos na escola e, portanto, não teve aula. Aproveitei para passar na casa da Débora, onde fiquei até às 22h40min. Cheguei em casa, dei uma olha nos e-mails e fui dormir. Eita, vida agitada, hein? Quanta emoção para um dia só... Não dá inveja? (risos)

Nenhum comentário: