segunda-feira, 3 de outubro de 2005

Hoje praticamente não dei aulas. Digo “praticamente” porque fui à escola e à faculdade, como de costume, mas acabei não sendo um bom professor. Hoje eu senti falta de alguma coisa que não sei bem o que é. No momento em que escrevo essa mensagem começo a refletir sobre o rumo que minha vida está tomando. Não tenho me sentido um bom filho, um bom neto ou mesmo um bom amigo. Por mais que eu tenha nadado ultimamente, não tenho conseguido andar na postura correta. Meus ombros insistem em permanecer caídos. Acho que é uma maneira inconsciente de mostrar que eu preciso de um tempo. Preciso de um tempo para relaxar, de deitar na cama e ficar olhando para o teto, ouvindo as músicas da Enya e do Secret Garden, ou mesmo músicas clássicas. Sinto falta de fechar os olhos e imaginar que estou em outro lugar, um campo gramado, rodeado por árvores, à beira de um rio de águas límpidas e cercado de montanhas. Sinto falta de sair com a bicicleta pedalando por aí, ir à banca de revistas ver quais são as revistinhas desse mês. Sinto falta de baixar meus quadrinhos e os meus filmes... Por falar nisso, dá pra acreditar que estou com três temporadas do Arquivo X gravadas no computador e ainda não tive tempo de passá-las para o CD? Ao que parece, tudo na minha vida tem sido “para ontem”. Tudo tem prazo para ser feito. Acho que o problema é estar dedicado-me exclusivamente à vida profissional à despeito da vida pessoal. É claro que eu só o faço porque sinto prazer, mas acho que estou passando dos limites. Preciso de um tempo. Há quanto tempo não leio um livro? Ainda restam três volumes do Operação Cavalo de Tróia para ler. Há também outros que baixei pela internet... Em meio a esta reflexão, acabo de perceber algo muito grave e que pode ser a causa do que estou sentindo neste momento. Tenho conversado muito pouco com Deus. Não tenho deixado ele se fazer presente em minha vida e não tenho tido a sensibilidade de parar para senti-lo comigo. Acreditem ou não, sentir Deus comigo é a única coisa que me faz ter a certeza de que tudo vai dar certo, independente do que for e da forma como for acontecer. E é justamente isso que preciso fazer: reencontrá-lo em meu coração. Todo o resto se tornará um pequeno detalhe. Pra vocês terem uma idéia de como estou abatido, nem mesmo uma proposta para um emprego de R$5.000,00 alterou minha motivação... Que Deus possa dar-me forças e perseverança suficientes para conseguir enfrentar os desafios da vida que, aparentemente, só têm crescido em número e dificuldade....

Nenhum comentário: