sábado, 29 de outubro de 2005

Hoje à tarde, enquanto voltávamos de Franca, o Eduardo Crevelim disse que também gosta de histórias em quadrinhos (HQ). Então eu recomendei o site do Rapadura Açucarada, que é um verdadeiro "achado" para quem gosta de HQ. O dono do site, um tal de Eudes Onorato, é fanático e diz que seu grande vício é escanear. Quem já visitou o site do cara sabe que ele desempenha seu papel com muita eficiência! Para quem estiver curioso, eu inseri os links na barra aí ao lado.
Diante do seu interesse por HQ, o Eduardo acabou visitando este blog e enviou-me um e-mail dizendo que achou uma boa idéia eu usar este espaço para expor alguns pontos de vista. Aproveitando a oportunidade, eu vou contar aqui um pouco mais sobre esse meu amigo.
Eu conheci o Eduardo por volta de 1986. Ele morava (e ainda mora) na rua de baixo, próximo à casa do Rodrigo (aquele amigo de infância que mencionei e que sequer lembra que eu ainda existo...). Naquela época, o Eduardo era um gordinho com cabelo cuja franjinha pareci-se com a de um curumim. Não tenho lembrança de nenhuma ocasião em que eu tenha conversado com ele naquela época, já que era praticamente IMPOSSÍVEL conversar com ele, de tão INSUPORTÁVEL e CHATO que ele era! Vocês não fazem idéia de como aquele "gordinho" era chato e chorão!!!
Fiquei alguns anos sem encontrar-me com o Eduardo. Reencontrei-o lá por meados da década de 90. Ele estava fisicamente bem diferente. Havia crescido e emagrecido bastante e, por estar treinando no Botafogo, tinha se tornado um jogador de bola um tanto que habilidoso.
Passados mais alguns anos, eu o reencontrei na Unifran. Na época, eu estava no Mestrado e ele estava no início do primeiro ano de graduação em Química. Estava com um cabelo no gel (é, isso mesmo! Acho que tinha mais gel do que cabelo...), estilo Reinaldo Gianechini (ator cujo corte de cabelo virou moda naqueles anos). No entanto, havia se tornado um rapaz calmo, muito diferente daquele "gordinho indecente" que eu havia conhecido anos atrás. Eu me recordo dele ter dito: "Primo, você podia dar aulas pra gente, né?" "Primo" é a forma como ele se refere, ainda hoje, aos amigos.
Acaso do destino ou não, o fato é que eu realmente seria professor do Eduardo durante todo o segundo semestre de 2003. Foi um período curto, mas pude notar nele duas grandes virtudes: a dedicação e a força de vontade.
Hoje ele faz Mestrado em Ciências na Unifan. No início deste semestre, tive novamente o prazer de ser professor do Eduardo, mas desta vez na pós-graduação. Pelo que pude ver, ele vai acabar se dando bem na vida. Basta apenas ter paciência, pois as coisas acontecem no tempo de Deus, e não no nosso.
O Eduardo é um bom exemplo de que algumas pessoas mudam PRA MELHOR com o passar do tempo. De aborrecente insuportável, ele passou a ser um estudante dedicado e uma pessoa muito jóia, com quem tenho conversado muito ultimamente. Quando viajamos juntos à Franca, damos boas risadas. Desejo muita sorte e sucesso a ele...
... e espero que ele tenha conseguido baixar as HQ que ele queria!

Nenhum comentário: