terça-feira, 18 de outubro de 2005

Primeiro dia de aula no horário de verão. Como minha mãe costuma dizer, “Odeio esse horário novo”. De fato, nosso organismo leva um certo tempo para adaptar-se e é natural que o corpo esteja aos frangalhos, principalmente em se tratando de uma segunda-feira brava. Só a título de ilustração, eu acordei “arrastando” a perna por causa de uma dor na virilha. Fiquei surpreso com a dor, pois não joguei tanto futebol ontem nem tampouco senti essa dor durante o jogo... O dia foi uma correria daquelas! As aulas da manhã (no colégio) foram tranqüilas e as da noite (na universidade) também. À tarde eu passei preenchendo uns papéis para pedir auxílio à universidade para ir a um congresso - aquele que havia mencionado por aqui, em que um ganhador do Prêmio Nobel de Química vai estar.
Tinha sido convocado para comparecer a uma reunião com os professores lá da escola. E convocação é convocação! Todos os professores estavam cientes de que a gente levaria um baita “sermão” da diretora. Que doce engano (literalmente!) Haviam duas mesas enormes repletas de lanches naturais, frutas, doces e até com um bolo! Eu fiquei chateado por dois motivos: o primeiro é que eu já havia jantado; o segundo é que eu tinha que ir embora mais cedo por causa das aulas na universidade... No ônibus, assistimos ao filme “Batman begins”. Putz, aquele filme é muuuuito 10! Eu ficava rindo o tempo todo (como se fosse a primeira vez que estivesse assistindo!), vibrando à medida que o Batman ia distribuindo porradas e passando medo nos bandidos e malfeitores. Coisa de louco mesmo! Sem dúvida é um dos melhores filmes de super-heróis já elaborados até hoje! Pra finalizar este post, queria deixar registrado que hoje estou muitíssimo feliz e em paz comigo mesmo. Finalmente pareço ter encontrado a paz interior (entenda-se: o Deus que todos temos conosco!) e nada, absolutamente nada, aborreceu-me neste dia. Isto não quer dizer que eu não tenha tido motivos para tal.... Quero dizer que eu soube contornar as situações de estresse iminente e manter-me calmo e feliz! Que bom que eu tenho este blogger para compartilhar minha alegria com vocês! Se bem que até hoje eu ainda não sei quantas pessoas realmente visitam este blogger com freqüência ...
Mensagem do dia: Se amar fosse fácil (Padre Zezinho)
Se amar fosse fácil,
não haveria tanta gente amando mal,
nem tanta gente mal amada.
Se amar fosse fácil,
não haveria tanta fome,
nem tantas guerras,
nem gente sem sobrenome.
Se amar fosse fácil,
não haveria crianças nas ruas sem ter ninguém,
nem haveria orfanatos,
porque as famílias serenas adotariam mais filhos,
nem filhos mal concebidos,>nem esposas mal amadas,>nem mixês,>nem prostitutas.>E nunca ninguém negaria o que jurou num altar,
nem haveria divórcio e nem desquite, jamais...
Se amar fosse tão fácil,
não haveria assaltantes e as mulheres gestantes não tirariam seu feto,
nem haveria assassinos,
nem preços exorbitantes nem os que ganham demais,
nem os que ganham de menos.
Se amar fosse tão fácil nem soldados haveria, pois ninguém agrediria,
no máximo ajudariam no combate ao cão feroz.
Mas o amor é sentimento que depende de um "eu quero", seguido de um "eu espero";
e a vontade é rebelde,
o homem,
um egoísta que maximiza seu "eu" por isso,
o amor é difícil.
Jesus Cristo não brincava quando nos mandou amar.
E, quando morreu amando deu a suprema lição.
Não se ama por ser fácil, ama-se porque é preciso!
Piada do dia. Há Professores e Educadores Numa escola pública estava ocorrendo uma situação inusitada: Uma turma de meninas de 12 anos que usavam batom todos os dias, removiam o excesso beijando o espelho do banheiro. O diretor andava bastante aborrecido, porque o zelador tinha um trabalho enorme para limpar o espelho ao final do dia. Mas, como sempre, na tarde seguinte, lá estavam as mesmas marcas de batom... Um dia o diretor juntou o bando de meninas e o zelador no banheiro, explicou pacientemente que era muito complicado limpar o espelho com todas aquelas marcas que elas faziam. Depois de uma hora falando, pediu ao zelador para demonstrar a dificuldade do trabalho. O zelador imediatamente pegou um pano, molhou no vaso sanitário e passou no espelho. Nunca mais apareceram marcas no espelho! Há professores e há educadores... Há professores e educadores

Nenhum comentário: