domingo, 23 de outubro de 2005

“Virgi” Maria”! Que semaninha mais corrida! Já se vai quase completando uma semana que eu não posto nenhuma mensagem. O problema é que eu costumo deixar para postar as mensagens à noite, antes de dormir, mas tenho estado tão cansado que acabo dormindo e não postando nada! A correria desta semana foi principalmente devido àquele capítulo do que vinha mencionando aqui neste blogger. Confesso que o mais difícil não foi escrever o capítulo, mas sim inserir as referências bibliográficas. Ô, trabalhinho chato de se fazer! Mesmo tendo dispensado tanto tempo tentando terminar, somente foi consegui-lo hoje à tarde. A quarta-feira foi um dia repleto de boas notícias. A primeira delas foi que o meu diploma de doutorado havia ficado pronto. A segunda foi que um artigo científico que enviamos para uma revista foi aceito. Não era um trabalho dos melhores, mas nós soubemos “vender tão bem o peixe” que ele acabou sendo aceito praticamente sem correções! E olha que está muito difícil publicar artigos ultimamente... A terceira notícia foi que a Lâmia, aquela minha amiga lá de Ribeirão Preto que envia aquelas belas “mensagens do dia” que eu posto aqui, escreveu-me dizendo que está grávida. Eu fiquei muito feliz, pois eu sabia o quanto isso significava para ela. Fui a Ribeirão na quinta-feira. Precisava organizar umas amostras para serem enviadas a uma professora de uma universidade lá no Nordeste. Ela está avaliando a atividade anti-câncer de algumas de nossas substâncias. Pasmem:: os resultados estão sendo fantásticos! A primeira coisa que fiz foi buscar o diploma na seção de pós-graduação. No laboratório, reencontrei o Michel (grande mestrão!) que retornou recentemente dos Estados Unidos. É tanta coisa que ele tem pra contar que nós combinamos de marcar uma tarde para tomar um suco e colocar o assunto em dia. Reencontrei também a Patrícia – ela está muito bem como grávida! A Vanessa está fazendo levantamento de peso e está com o corpo muito diferente (cadê o pescoço dela???) Almocei com a Viviane, minha amiga argentina. A gente morou na casa de estudantes mas fazia um tempão que a gente não se encontrava pessoalmente. A conversa estava tão atrasada que o almoço demorou quase 2 horas! Mas valeu a pena. Ela é uma pessoa com quem eu sinto que posso contar pois é muito sincera e não mede as palavras quando precisa falar o que pensa. Antes de pegar a estrada, passei no departamento de Química para parabenizar a Lâmia pela gravidez. Voltei rapidinho para dar as aulas do período noturno e, portanto, não tive tempo de passar lá na moradia. Confesso que fui meio no sacrifício, pois estava um “bagaço”! Minhas pernas estavam tão cansadas que eu mal conseguia levantar-me e atender os alunos em suas carteiras. Na sexta-feira, após uma “maratona” de 5 aulas, fui à Franca para conversar com o Wilson e a Marcele. Não consegui fazer muita coisa do que queria. O programa de edição dos espectros não funcionou e eu também não consegui baixar o programa para baixá-los lá do servidor da USP. Permaneci durante todo o sábado escrevendo o “maledeto” capítulo do livro. Sequer saí ao portão. Saí apenas na parte da tarde para jogar futebol. O Renatinho, sobrinho do Tião (um colega de infância por quem já tive muita consideração...) e que atualmente é também meu aluno (olha como o mundo dá voltas!) passou aqui em casa para irmos juntos. Durante o jogo, eu tive uma discussão com um “filhinho de papai” que se acha melhor do que os outros. O “mane” ficava o tempo todo prostrado na cara do gol e ficava todo o tempo pedindo a bola. No entanto, fazia corpo mole para marcar a saída de bola. Resultado: perdemos todos os jogos! Essa é uma das qualidades mais horríveis do ser humano: a arrogância, prepotência – putz, não sei nem encontrar o nome certo! É por isso que eu sempre me esforço para fazer tudo da melhor maneira possíve.! Não para dizer para os outros, mas para calar a boca de qualquer filho da mãe que se enquadre nessa categoria!
No domingo, terminei de escrevei o capítulo do livro – finalmente! Nadei na parte da manhã, mas não ousei jogar futebol por causa das dores nas costas que ainda me incomodavam por causa do futebol do sábado... . Fui encontrar-me com a Débora somente à noite, já que ela foi “voluntária” para ser mesária no referendo sobre a proibição de armas. E agora eu vou dormir! Tchau!

Nenhum comentário: