quinta-feira, 3 de novembro de 2005

Se me perguntassem o que eu poderia dispensar da minha vida, eu indicaria a televisão. Desde que conheci a internet, deixei de assistir aos jornais manipuladores de opinião e passer a ler as notícias pela internet. Os desenhos... Bem, eu também os tenho baixado pela internet. As séries de que gosto, então... A grande vantagem é que a gente não fica dependendo de horário pra assistir o que gosta. É só baixar e pronto!
Uma das poucas séries que admiro na televisão é "A grande família". Eu sou um grande fã daquela série! Talvez o fato de sermos aqui em casa descendentes de italianos influencie bastante minha admiração. Acho que nós aqui de casa nos identificamos muito com aquela família "normal". No episódio desta noite, houve um momomento em que o Lineu (interpretado pelo excelente Marco Nanini) sonhou que ele estava se encontrando com ele mesmo e dizendo para si (no caso, materializado em um menino de uns 7 anos) que a sua casa ia ser demolida. O menino, então, guarda uma caixinha de birocas em um buraco da parece. Quando o Lineu acordou, ele foi verificar se realmente existia a tal caixinha. E não é que a caixinha estava lá?
A cena que descrevi assemelha-se muito a uma cena do filme "Minha vida". Este foi, até hoje, o filme que mais me emocionou desde que me entendo por gente. Eu chorei do início ao fim, principalmente no final. Quem puder assistir, assista!

Nenhum comentário: