sábado, 24 de dezembro de 2005

A ceia de Natal de 2005

Hoje acordei disposto a não fazer nada. Nos anos anteriores, eu acordava cedo para lavar o carro. Até agora não consigo entender de onde veio a brilhante idéia de que no Natal o carro tem que estar limpo... Ao invés disso, acordei por volta das 9h30min e fui para o computador, tentar fazer uma faxina na caixa de e-mails, que já contabiliza mais de 230 mensagens não lidas... Pra variar, eu me perdi no meio do caminho e mudei de idéia. Notei que tinha muitas piadas e crônicas divertidas. Decidi, então, montar um blog e disponibilizar todas essas porcarias. Desta forma, quando eu precisar de uma piada para contar em sala de aula, basta ir lá e escolher. A montagem do novo blog (http://www.sorindomesmo.blogspot.com/) ocupou meu tempo até às 13h30min, quando gravei um DVD do ABBA para presentear o Luís, meu cunhado, que irá construir nossa casa. Gravei, também, um CD para a Débora, contendo as fotos tiradas ao longo do nosso namoro. Por fim, gravei um CD da Ana Carolina que havia baixado pelo Bit Comet. Às 14h40min entrei na sala da Débora, com três CDs nas mãos e o álbum de fotos que eu havia escaneado na noite anterior. Disse que era um segundo presente de Natal. O meu foi o sorriso dela e o abraço que ganhei... A Débora quis descer até o centro ver as lojas mas concluí que ela dificilmente faria alguma compra. “Se fosse eu, não ousaria descer do carro e andar sob este sol escaldante...”, pensei. Enganei-me. Ela acabou tomando coragem e desceu para comprar um lindo vestido branco (na foto) para a ceia. Comprado o vestido, demos mais algumas voltas de carro e paramos em uma sorveteria (a Kaballah). Ela escolheu uma vaca preta e eu, um colegial. Depois disso, fomos à casa do Luís para entregar-lhe o DVD. Tocamos a campainha duas vezes; ninguém atendeu. Quando estava entrando no carro, o Gérson (filho do Luís) saiu ao portão com uma baita cara de sono. Desculpei-me. Ele disse que seu pai tinha saído e que estava para voltar. Despedi-me e disse que voltava mais tarde. No entanto, no percurso para a casa da Débora, encontramos ele e sua esposa, a Solange, conversando com a dona Bárbara (sogra do João, também irmão e padrinho da Débora). A Solange sugeriu-nos que déssemos meia-volta e voltássemos com eles. Fui à casa da Débora rapidamente e dirigimo-nos, em seguida, à casa do Luís. O Luís pareceu-me feliz ao receber o DVD do ABBA. Ele olhava, admirado, comentando pessoas que hoje estão envelhecidas e infelizes. Para quem não sabe, o ABBA foi um grupo musical que fez muito sucesso de 1971 até 1982. O nome vem das iniciais de seus integrantes (Agnetha, Byorn, Anny-Frida e Benny), sendo que os dois primeiros e os dois últimos eram casados. A rotina de shows desgastantes acabou culminando na separação dois casais e do grupo. Fiquei um pouco desapontado, pois devido à falta do controle-remoto, conseguimos assistir apenas a três dos 15 vídeos (“Dancing Queen”, “Knowing me, knowing you” e “Take a chance on me”). Voltamos para a casa da Débora, onde ela banhou-se, perfumou-se e vestiu o lindo vestido branco que havia comprado. Ficou divinamente linda! Viemos aqui para casa, onde a ceia de Natal seria realizada. Antes de tomar banho, brinquei um pouco com a Clara, que até então estava febril. Ela deu algumas risadinhas e, como costumamos dizer, parece “ter pegado fogo”. Raspei a barba, tomei banho e fui chamar meu pai e meu avô Milla, que estavam na casa da tia Vânia, aqui ao lado. Lá estavam as famílias do tio Tim, da tia Vânia e do tio Buchudo, comendo churrasco. O vovô, que estava conversando com o tio Natal e o Fernando, meu primo, voltou comigo. Já o papai... Bem, o papai demorou um pouco mais, dizendo que queria “matar a sede de carne”... Nunca vi ninguém gostar de churrasco como o papai! Após alguns minutos, o papai voltou. Em poucos minutos, o papai Noel (uma amiga da tia Vânia) também chegou, trazendo um saco de presentes que a tia Ângela havia comprado para a Clara. A Clara, por sua vez, ficou muito entusiasmada com a presença “dele”. Assistimos, alegres, à abertura dos presentes e, depois disso, fomos rezar. Reunimo-nos ao redor da mesa para agradecer pela saúde e por este ano que passou. De fato, ter meu pai conosco na ceia foi uma verdadeira graça de Deus, já que ele teve que se submeter, em março deste ano, a uma operação para retirada de um câncer no rim. Durante três meses eu, a minha irmã e a tia Ângela tivemos que nos espremer para pagar as contas da casa. Eu o presenteei com uma cinta. Ele agradeceu e disse que gostou muito, já que era algo que ele estava precisando muito. Em seguida, todos os presentes se abraçaram e trocaram desejos de “feliz Natal”. Enfim, prontos para a comelança! Minha irmã havia preparado a mesa. Entre os pratos estavam lasanha de frango, rocambole de carne moída, farofa doce e salpicão (este preparado pela tia Ângela), o meu preferido. Comi dois pratos monstruosos... Quase não sobrou espaço para a sobremesa... Em um determinado momento, asfastei-me de todos e fui para o fundo do quintal. Olhei o céu, as estrelas. Comecei a conversar com Deus e agradecer-lhe por ter todos ali comigo. Tenho uma família maravilhosa. Como já disse várias vezes, eu me considero o cara mais feliz do mundo! No finalzinho da noite, a Débora quis conhecer o meu orkut. Mostre-lhe e ela achou muito legal. Disse que amanhã quer que eu monte um para ela... Ao dormir, agradeci a Deus pela saúde de todos. Em minha conversa com Ele, adormeci rezando...

Nenhum comentário: