sexta-feira, 20 de janeiro de 2006

Aventuras no congresso Br-Mass - parte 3

Quando a porta se abriu, deparei-me com um quarto digno de um hotel cinco estrelas. Naquele momento pude entender porque a diária daquele hotel era tão cara.
A decoração parecia ter sido cautelosamente planejada, desde o carpete do chão até os quadros na parede.

O banheiro, então... Ah, o banheiro era um caso à parte. Havia até um secador, disposto cuidadosamente ao lado do espelho. Em um estojo, disposto sobre a pia, estava repleto de creme e xampus. Nestes, porém, eu nem coloquei as mãos. Afinal, todo o luxo tem um preço. No frigobar, por exemplo, havia água, refrigerante, sucos e tudo o que um ser humano possa querer beber em um quarto de hotel. O preço, no entanto, era pouco animador. Um refrigerante em lata, por exemplo, saía por nada mais nada menos que R$4,00...

O Gobbo e eu acomodamos nossas malas sobre as camas e, após espalhar pelo quarto as coisas mais necessárias, decidimos que era preciso conseguir comida e bebida fora do hotel, a um preço mais acessível. Afinal, nenhum de nós dispunha de dinheiro para esbanjar. Ligamos então para o quarto dos nossos dois outros amigos aventureiros, o Michel e o Neri, e combinamos de sair do hotel. No saguão, ainda impressionados, os dois nos aguardavam. Antes de sair, resolvemos retirar o material do congresso, que normalmente inclui uma bolsa onde poderíamos colocar o que fosse comprado. Retirado o material, dirigimo-nos à frente do hotel, onde o motorista parou minutos depois com o carro. Não foi preciso ir muito longe para encontrarmos uma loja de conveniência em um posto ali bem próximo ao hotel. Lá comprei duas garrafas de água, um pacote de salgadinho da Elma Chips, um amendoim e um pacote de bolachas, que foram acomodados na bolsa que havia sido fornecida pelo comitê organizador do congresso. Retornamos, então, ao hotel. O relógio já acusava 18h30min. A cerimônia de abertura estava marcada para as 19h. Retornamos ao hotel, para tomarmos banho e trocarmos de roupa. Combinei com o Gobbo de tomar banho primeiro. Embora ele tenha um cabelo enorme, o que certamente exigiria um certo tempo para ser lavado, pedi-lhe para que eu pudesse ir primeiro. A roupa já estava escolhida por antecedência pela minha consultora de moda, a Débora. Eu trajaria uma camisete (que merda de nome é esse?) e uma calça social esporte preta. Quando olhei no espelho, meu Deus! Eu estava parecendo um pagodeiro com aquela camisa! Assim que o Gobbo terminou seu banho e trocou-se, dirigimo-nos até o local onde as empresas haviam montado seus estandes. Lá encontramos o Betão e a Taís, sua namorada, e o “Betinho” (ele odeia que o chamem por este apelido...), um professor muito gente fina que foi membro da minha banca de defesa de doutorado. Após algumas risadas das abobrinhas de sempre, entramos no salão para assistir à cerimônia de abertura. O presidente do congresso anunciou o que ele chamou de “time” de palestrantes internacionais. Um deles, o professor John Fenn, era nada mais nada menos do que o ganhador do Prêmio Nobel Química de 2002. Todos eles foram agraciados com uma camisa da seleção brasileira. Um dos palestrantes, o Dr. Graham Cooks, um dos maiores ícones da espectrometria de massas da atualidade, levantou-se e colocou a camisa da seleção por cima do terno. Como era de se esperar, todos aplaudiram a simpática iniciativa daquele professor. Eis que o momento tão esperado havia chegado. Ali estava, finalmente, o que todos queriam ver: a palestra do Dr. John Fenn, o “homem do Nobel”. Já bem velhinho, o professor Fenn mostrou-se muito alegre e descontraído durante sua apresentação, a mesma que ele proferiu quando foi agraciado com o Prêmio Nobel. A sua grande contribuição foi o desenvolvimento da ionização por electrospray, que permite a análise de substâncias “pesadas”, ou seja, de alto peso molecular. Ao final da palestra, para ilustrar os desafios encontrados durante o seu trabalho, ele colocou um vídeo com o elefante Dumbo, personagem da Disney. Neste vídeo, nninguém acredita que Dumbo vai voar. E ele acaba voando... Foi um momento muito mágico e ímpar na minha vida profissional, registrado nas fotos deste post. Após a apresentação, houve um jantar de abertura. Esta foi uma ótima oportunidade para ter uma foto daquele professor bem de perto...

(to be continued...)

Nenhum comentário: