domingo, 16 de abril de 2006

Enquanto isso, no orkut...

Demorei muito para cadastrar-me no orkut. Minha resistência deveu-se à empolgação de minha irmã. Na época, lembro-me que ela fazia "marcação cerrada". Mal me levantava da cadeira para ir beber água ou ir ao banheiro e lá estava ela, acessando o orkut. Isso me deixava irritado, já que não enxergava muito sentido naquela empolgação. Na verdade, quanto mais ela insistia para eu me cadastrar, mais eu resistia. ´ Decorridos mais de seis meses desde que me cadastrei, já foram mais de 600 recados recebidos. Existem, obviamente, aquelas "correntes", aqueles recados contendo "bichinhos" e que contém dizeres do tipo "clique aqui". Estes eu sempre deleto. Tomo o cuidado de deixar apenas aqueles que são dirigidos a mim. Neste domingo de Páscoa, a primeira coisa que fiz foi analisar as pessoas que têm me deixado recado no orkut. Lá encontro, por exemplo, pessoas que há muito tempo não via, como por exemplo, a Jaqueline e a Selma, com quem morei na casa de pós-graduação em um período muito iluminado de minha vida. Há também as amigas com quem mantenho um contato mais constante, como a Lisiane, Val, Ana e Luciane, sem contar o Pancinha e o Ricardão e a Fabiana. Há também ex-colegas de laboratório, como a Adriana, a Janaína, o Michel, Gobbo. Há também velhos amigos da adolescência, como o Sandrinho e o Chesca. Estes foram os que mais deixaram recados para mim no orkut.
No entanto, notei que o número de mensagens tem aumentado bastante nos últimos tempos. Isso se deve ao crescente número de alunos. Muitos deles deixam recados tirando o sarro, outros deixaram recados desejando "Boa Páscoa". Outros ainda deixam mensagems pedindo para que eu "alivie na prova" ou coisas do tipo. Notei, contudo, que boa parte dos alunos do ano passado e que não são mais alunos este ano, não deixam mais recados. Isto é compreesível e óbvio. Há pessoas que passam pelas nossas vidas e que têm importância apenas em um determinado período de nossa existência. Depois caem no esquecimento, principalmente devido à falta de convivência e/ou à vida corrida.
Para todos estes que me deixaram (e ainda deixam) recados no orkut e, principalmente, para os que acessam este blog, deixo meus sinceros agradecimentos.

Nenhum comentário: