terça-feira, 1 de agosto de 2006

Procura-se um "meio-termo"

Tenho me sentido muito estranho desde o início das férias. Coincidentemente, foi neste período em que ocorreu o “travamento” da minha coluna. Desde então vi-me forçado a tornar constantes as visitas à piscina da academia. Além de nadar todos os dias, tenho sessões de hidroginástica às segundas-, quartas- e sextas-feiras. É verdade, isso tem me tomado uma parte significativa do meu tempo, mas eu já me conscientizei que se eu quiser viver bem, e poder caminhar e correr à vontade, sem sentir dores, vai ter que ser deste jeito. A minha sensação de que há algo estranho talvez venha do fato de não estar acostumado com esta situação. Aliás, estive pensando a respeito do que aconteceu entre eu e o papai no último sábado. Cheguei à conclusão que talvez eu esteja me sentindo tão egoísta por nunca ter deixado um tempo para mim. Meu tempo sempre foi dedicado aos outros. Sempre pensei em todo mundo, nos compromissos profissionais e nos outros. Notei que eu sempre me colocava em último lugar em tudo! Neste sentido, tenho a impressão que a tendência é que isso caminhe para um “meio-terno”. Nem tão “eu”, nem tão “os outros”. A grande vantagem de tudo isso é que 7 kg (isso mesmo: 7 kg!!!!) foram embora! Os 84.3 kg que me incomodavam no início das férias se reduziram a 77.4 kg. O que eu fiz? Bom, reduzi o número de pães ingeridos, estou evitando refrigerante, jantando menos e, principalmente, nadando muito! Infelizmente não tenho atualizado este blogger com tanta freqüência. Além do tempo, que ficou escasso demais diante de tanta natação (sim, uma hora por dia me faz muita, mas muita falta!!!), há também o problema de não querer escrever porcarias (como essas que eu escrevo neste momento...), que os outros não vão gostar de ler. Neste ponto, penso que o Márcio tinha realmente razão: de “diário virtual”, este blog acabou se tornando uma forma de me fazer com que pessoas (muitas das quais provavelmente nunca conhecerei pessoalmente...) se interem do que se passa em minha rotina. E é claro: ao escrever, fico pensando no que as pessoas vão achar sobre o que eu escrevi... De qualquer forma, peço desculpas àqueles amigos virtuais fiéis e pontuais, que passam por aqui todos os dias. A estes, eu prometo que encontrarei o “meio termo” que mencionei. Há inúmeras coisas a fazer: provas a serem corrigidas, um artigo para enviar, aulas para preparar para a pós-graduação... Em resumo: estou encrencado! Mesmo assim, sigo nadando... Se morrer na praia, tudo bem. Pelo menos morrerei sem dores na coluna!

Nenhum comentário: