sábado, 9 de dezembro de 2006

Quarta-feira estressante - parte 5: Recompensa

São 19h16min. Acabo de entrar na turma C do 2º. Ano de Química Industrial. “Boa noite!”, digo, como sempre faço. Embora uma boa parte dos alunos responda à minha saudação, percebo que outros me olham, um tanto que surpresos. “Uai, Miller, o que aconteceu? Você parece abatido, cansado...” Deixo então a bolsa de couro cair sobre a mesa e olho para a classe. Percebo então que estão todos aguardando minha resposta. O dia catastrófico que parece estar chegando ao fim passa-me então como um filme pela minha mente. Respiro fundo. “Não posso comportar-me como um derrotado!” Com um largo sorriso, faço uma cara de quem está surpreso com o que acabou de ouvir. “Estranho? Acho que é impressão de vocês. Está tudo certo. Ou não?”, digo, então verificando se o zíper da calça está aberto. Ouço risos. Dirijo-me então à porta da sala de aula e a fecho. Sempre faço isso, como se fosse um ritual. “Os problemas que tive hoje ficarão lá fora.” Concentro-me. Hoje é aula de revisão. São 22h38min. A aula acaba de terminar. Sinto-me cansado, porém aliviado. A aula foi divertida e, principalmente, proveitosa, pois percebi que muitos alunos conseguiram entender pontos difíceis do conteúdo. “Moçada, por hoje é só. Obrigado e até semana que vem!” Na porta da sala, uma aluna que assistiu à aula me pára. “Nossa, eu adorei a sua aula! Que diferença em relação ao professor anterior!” Limitando-me a dar um sorriso, talvez constrangido pela crítica ao outro professor, vejo naquelas palavras que é possível terminar um dia ruim com um sorriso no rosto...

Nenhum comentário: