terça-feira, 8 de maio de 2007

"Noividade"

“O homem deixará a casa de seus pais e se unirá à sua mulher, e os dois serão uma só carne”. Acho que era mais ou menos isso que diz um dos trechos da bíblia. No sábado, Débora e eu demos um grande passo rumo aos acontecimentos narrados nesta frase bíblica: noivamos! Após 11 anos e 10 meses de namoro, enfim trocamos alianças, que por enquanto ficarão na mão direita até que nossa casa esteja pronta. Não houve cerimônia alguma. Simplesmente fomos à loja buscar as alianças, que haviam sido encomendadas na segunda-feira (30/04), véspera de feriado, passando a partir de então a usá-las. Olhamos um no olho do outro e reforçamos o sentimento de mais de uma década através daquelas alianças douradas, onde nossos nomes foram gravados Nos dias de hoje muito se ouve falar em “aliança de compromisso”. Namorados que se conhecem há poucos meses fazem juras de amor eterno e trocam alianças. Poucos dias depois, após uma pequena discussão sem grandes motivos aparentes, as mesmas alianças são as primeiras a serem jogadas no chão, como sinal de que tudo está terminado. Em outras palavras, as alianças são apenas símbolos de um sentimento. Se tal sentimento não for forte e verdadeiro, as alianças nada representam.
Nos últimos dias, tenho sentido como se eu estivesse passando por uma transformação inevitável por causa da aliança: a de estar deixando definitivamente a adolescência para entrar na vida adulta. A possibilidade de ser pai começa a se tornar uma realidade mais próxima. Mas a grande maravilha, e talvez o maior encantamento de tudo isso, é olhar na pessoa que ostenta a outra aliança e ver estampado em seu rosto a mais pura felicidade. Inexplicavelmente, este anel dourado faz-me sentir um adulto adolescentemente apaixonado...

Um comentário:

Márcio Roberto do Prado disse...

Tonhão, salve!

Primeiramente, parabéns! Fico muito feliz com essa boa notícia. Espero do fundo de meu coração que você e a Débora sejam muito felizes nessa nova etapa de seu compromisso e que essa felicidade seja apenas um prenúncio da felicidade vindoura. Além disso, quase doze anos! Você está enrolando a moça! Brincadeira, espero tudo de bom para vocês. Em segundo lugar, quero “cobrar” você: você não contou qual será a mudança pela qual passará. Sei que você disse que ainda não pode dizer, e tal, mas vou ficar insistindo, pois a curiosidade é fogo! Mas percebi que esse próximo e importante passo está ligado ao que você comentou a respeito do Homem-Aranha, claro. Bem, suspense no ar… mas meu sentido de aranha está captando algo!

Abração do

Márcio