quarta-feira, 2 de maio de 2007

Ser professor é...

Hoje foi dia de entrega de provas na faculdade. A disciplina que ministro – a tal da Química Orgânica – tem a fama de ser uma das mais difíceis. Todos falam que “a matéria do Miller é foda!”, mas não me orgulho muito disso. Digo isso porque na condição de professor, o meu maior desejo é que todos os alunos se saiam bem nas provas. Isso mostra que eles aprenderam o conteúdo, o que sempre gera no professor a idéia de que ele ensinou bem. É claro: ensinar é uma coisa, aprender é outra. O professor pode ensinar e o aluno pode não aprender, da mesma forma que o professor pode não saber ensinar e o aluno não se sair bem. De qualquer forma, ver os alunos vencendo os obstáculos, ali impostos na forma de avaliações, é sempre gratificante.No primeiro bimestre de cada ano já me acostumei com a média de 50% de notas vermelhas. Após algum esforço e muito estudo, os alunos sempre acabam fechando suas notas e escapando das dependências. Entretanto, ocorreu algo inesperado em uma sala de 2o. ano de Licenciatura em Química. Apenas 3 alunos dentre os 15 alunos da sala obtiveram média 6,0 ou acima. Ao mesmo tempo, reconheceram que a prova não estava difícil. Esta situação levou-me a ter uma conversa muito séria com eles. Afinal, eles serão professores e um dia, se Deus quiser, estarão no meu lugar. Disse então a eles: “Estou muito preocupado com a postura de vocês. Não com a nota, mas com o desânimo de vocês. Aqui eu sinto que a maioria pensa: ‘Ah, eu vou ser professor mesmo, então não preciso aprender isso.’ Pois é justamente o contrário! Quanto mais sábio for o professor, melhor ele será. Isso me preocupa, porque ao agir assim, vocês mesmos estão desvalorizando aquela que será a futura profissão de vocês. Não se esqueçam: vocês têm que estudar bastante, ter um vasto conhecimento, saber lidar com as pessoas e, mesmo assim, ganhar pouco. Pensem bem: vocês querem realmente ser professores? Se quiserem ganhar dinheiro, visando riqueza e bens materiais, mudem de curto. Peçam transferência para o bacharelado. Ser professor não enriquece em termos materiais. Por outro lado, é preciso ser exemplo de ser humano. Quando chegarem em uma sala de aula, sorriam para os seus alunos. Um sorriso pode salvar o dia de um aluno. Façam com que seus alunos vejam vocês como exemplos. Hoje em dia a maioria dos professores é insatisfeita, o que faz com que os professores sejam vistos pelos alunos como pessoas fracassadas. Não é à toa que cursos que formam professores têm as mensalidades mais baixas. Justamente porque ninguém quer enfrentar a barra de ser professor! Há aqui nesta sala um aluno que já é professor. Eu o flagrei colando. Qual é a postura desse professor em sala de aula? Qual é a moral desse rapaz para tirar a prova de um aluno que ele flagra colando e lhe atribuir um zero como nota? Dêem exemplos, meus amigos! Sejam exemplos! O que se faz nesta vida, ecoa pela eternidade. Então façam bem feito!”

Um comentário:

Elisabeth disse...

Olá Antônio!
Achei muito interessante sua narrativa, por coincidência meu curso é licenciatura em Química. Eu, assim como seus alunos, também acho Química Orgânica difícil. Um grande abraço.