terça-feira, 14 de agosto de 2007

Michael Jackson, o mestre


Segunda-feira, 19h35min. Acabo de escrever um resumo do conteúdo no quadro negro. Enquanto os alunos copiam, sigo em direção ao fundo da sala, em busca de uma cadeira para sentar-me. Trata-se de um ritual que os alunos desta sala conhecem muito bem. Por outro lado, eu bem sei que quando eu caminho entre as cadeiras, sempre os ouço zombarem uns dos outros. Em se tratando de uma turma de 2º. Ano de graduação em Engenharia Química, é natural que os homens sejam em maior número. As poucas alunas concentram-se no lado esquerdo da sala. Os rapazes ficam do lado direito. E é pra lá que eu sigo, já aguardando alguma “novidade quente” que me faça rir. Quando passo em frente ao William, lembro-me de um recado que ele deixou no orkut, solicitando uma piada do Michael Jackson. Há uma carteira vaga ao lado dele. Os alunos estão todos em silêncio, copiando. Paro ao lado dele e pergunto: “William, que história é essa de Michael Jackson?” A sala desaba em risos. “Ah, Miller, é o mestre!”, diz ele, tentando manter-se sério. “Meu Deus! O mestre está em todas!”, penso comigo. O mestre, cujo nome é Mateus, é aquele aluno a que me referi aqui anteriormente. “William, essa é quente! Vai contando aí!”, digo-lhe, já entre risos. “Bom, Miller...” – começa ele – “é o seguinte: tudo começou na semana passada, na quarta-feira, quando o Mestre estava sentado atrás do Tourinho”. Olho então para o tal “Tourinho”, cujo nome é Diego. Trata-se de um aluno de baixa estatura, que aparenta ter bem menos que a idade dele (eu diria que uns 12 ou 13 anos!!!). “Que nada, Miller, é mentira!”, defende-se ele, interrompendo o William. A sala continua copiando o texto que está no quadro negro, mas agora entre risos. “Miller, do nada, o mestre olhou para a nuca do Tourinho, deu uma coçada no cavanhaque e foi passar o cavanhaque na nuca dele...”, continua narrando o William. “Mas o Tourinho se assustou e virou para trás. Deve ter sentido o fungado do mestre se aproximando, então arrepiou-se e virou o pescoço. Aí o mestre acabou beijando o rosto dele!” Olho para a sala. Ninguém consegue ficar sério! Meu abdômen já está doendo de tanto rir. O Guilherme dispara: “Olhaí, Miller! O mestre é o novo Michael Jackson!”. O Nuliano arremata: “O mestre é o Michael Jackson, o Diego é o Macaulay Culkin!”: Eis que o mestre começa sua defesa. “Não, Miller, eu não beijei, não. Eu só passei o cavanhaque na nuca dele, então ele virou o pescoço e aí a coisa ficou meio estranha”. “Ah, então quer dizer que você passou o cavanhaque no pescoço dele?” Ele ri, a sala toda solta gargalhadas. Ele então olha para o “Tourinho” e diz: “Olha, eu acho melhor você se defender, porque quem ta ficando com fama de ‘deflorado’ aqui é você!” Terça-feira, 15h. Abro o e-mail. Há uma foto do "mestre" Jackson e de seu “tourinho” Culkin. Cinco minutos depois minha mãe aparece, preocupada por eu não conseguir parar de rir...

Nenhum comentário: