sexta-feira, 25 de abril de 2008

Foi assim que tudo começou... - parte 1

Novembro de 1994. É incrível como os meses passam rápido. Parece que foi outro dia que eu estava assistindo às aulas da semana preparatória para o cursinho. Sinto ainda a brisa fria que vem da piscina, em torno da qual ficavam as salas de aula. Lembro-me que aquela semana foi particularmente estressante. Tive que estudar bastante, pois minha única chance era conseguir um bom desconto. Sim, estudar aqui no colégio Objetivo custaria muito caro caso eu não tivesse obtido a primeira colocação e sido agraciado com 70% de desconto na mensalidade. O diretor, o Marcão, que também era professor de Geografia, pareceu bastante impressionado com o meu desempenho e acabou convidando-me para estudar no período da manhã, que ele dizia “ter um estudo mais forte”. Mas não era isso que eu queria. Eu não queria passar pela experiência que passei no ano passado, quando estudei na FEAM-COC, também com bolsa. Todos os meus colegas tinham pais que ganhavam bem e podiam pagar a mensalidade escolar para eles. Já eu estudava com bolsa de estudos integral, e isso me fazia diferente deles. Senti-me como um estranho no ninho durante o ano inteiro, não gostaria de sentir-me assim novamente. Por isso, disse ao Marcão que queria permanecer no período noturno, para poder estudar durante o dia todo. Isso nunca foi problemas para mim, afinal estou acostumado a lidar com os livros. Eles são os meus melhores amigos. Pra falar a verdade, afora meus entes mais queridos, os livros são os meus únicos amigos. Sou um adolescente de 18 anos, muito tímido e introspectivo, porém tenho intimidade com os livros e com os números. Alguns me acham louco, dizem que sou inteligente demais. Não, eu não sou inteligente, sou apenas muito dedicado. Isso mostra que eles realmente não me conhecem. Pois bem. Meu plano de estudar firme o dia todo teria saído conforme o planejado caso o Marcão tivesse entregado os livros que chamamos de “Os Intocáveis” à medida que as aulas fossem sendo ministradas. Mas o material referente ao 1º. bimestre veio no terceiro, o do 2º. veio no quarto e com isso meus planos foram por água abaixo. Minhas esperanças de ser aprovado no vestibular agora são bem reduzidas. Quero prestar engenharia elétrica na USP de São Carlos. No ano passado me saí muito mal nas provas de Geografia, Inglês, História e Biologia. Só me dei bem em Física, Matemática e Química. O Aires, um colega com quem estudei no ano passado na FEAM-COC, também quer prestar Engenharia Elétrica. Ele gosta de estudar comigo, ao ponto de quase ter desistido de estudar no Liceu Albert Sabin de Ribeirão Preto pra continuarmos na mesma sala. Mas eu disse a ele para seguir o caminho dele, que estudar lá era bem melhor. Na verdade, se o papai tivesse dinheiro pra pagar a mensalidade do Sabin, eu também teria ido, mas o fato é que até pra pagar a mensalidade do cursinho o papai sofre, mesmo com o desconto que consegui. O ano vai chegando ao seu fim. Fico triste só de pensar no que farei no ano que vem. Não tenho esperanças de que seja um ano bom. Não sei se serei aprovado no vestibular para Engenharia nem tampouco se prestarei o vestibular. Pra completar, há um pequeno detalhe que aumenta ainda mais o tamanho da minha interrogação: ano que vem é ano de serviço militar. Putz, era só o que me faltava...

Nenhum comentário: