sábado, 15 de agosto de 2009

Cinco coisas que me irritam muito

Não sei quem foi que iniciou esta brincadeira. Sei apenas que o amigo Eudes, do Rapadura Açucarada, repassou-a a mim, e para não deixar que ela morra, vou descrever aqui cinco coisas que me irritam e que me tiram do sério. Ouso dizer que é quase uma lista de cinco pecados capitais.

1 – Arrogância. Essa infeliz característica constante no comportamento de um número cada vez maior de pessoas merece encabeçar a lista de coisas que me tiram do sério. Não é fácil lidar com pessoas que se acham melhores que as outras. Meu sangue ferve quando estou diante de uma pessoa que “come chuchu e arrota peru”, que se acha melhor que outras. É claro que existem pessoas que são mais bem capacitadas em determinadas áreas que outras pessoas, e é nelas que a humildade deveria surgir. O que aparece, no entanto, são pessoas que se acham donas da situação, que se acham no direito de pisar em outras por saberem mais ou por ocuparem alguma posição de respeito. O pior é que algumas são arrogantes sem nem isso ter. São aquelas que “sobem em um sabugo pra fazer discurso”. Essas pessoas me enojam!

2 – Motorista folgado. Uma das coisas que mais odeio é motorista folgado. Acho que por detestar tanto esse tipo de motorista é que eu sou constantemente uma de suas vítimas. Às vezes estou com um pouco de pressa, atrasado ou em cima da hora. Eis que ao me aproximar da esquina surge algum veículo que a dobra e entra no meu caminho, logo à minha frente. O problema não é o fato de um veículo entrar na minha frente. O que me irrita é que o motorista filho da mãe não teve paciência de esperar eu passar por estar com pressa. Pelo contrário: sua pressa foi apenas até o momento de entrar no meu caminho. Depois sua velocidade diminui e mais parece estar dormindo ao volante. Às vezes fico imaginando se esse tipo de motorista é mais sarcástico que folgado, ou se seria uma conspiração do universo pra me tirar do sério.Basta um deles surgir e lá se vai toda a minha cota de paciência diária.

3 – Falsidade. Você já teve algum colega por quem tinha consideração, que considerava um grande amigo e depois descobriu que o filho da mãe falava mal de você pelas costas? Eu já tive vários! Essas pessoas são um perigo, pois muitas vezes aproveitam momentos oportunos para incentivar-lhe a criticar alguém, e depois acabam usando a “novidade” contra você. Eu simplesmente risco essas pessoas da minha lista, pois são muito perigosas. Por não tolerar falsidade, eu não apenas risco essas pessoas do meu círculo como apenas faço o possível para me manter distante delas.

4 – Hipocrisia. Existe um grande número de pessoas que anda por aí batendo no peito e se gabando de fazer e acontecer. Olha para o mundo e critica tudo e todos, como se estivesse acima de qualquer fraqueza. Eis que dias depois o hipócrita está fazendo o que há pouco criticava. Quer um exemplo? Há alguns anos atrás conheci uma moça que dizia que estava sozinha porque era muito seletiva. Segundo ela, pra ficar com ela o rapaz deveria ser romântico, do tipo que abre portas, faz poesia e entrega flores. Na mesma noite, ela se embrigou e dormiu com um colega meu. Pessoas deste tipo não merecem respeito.

5 – Pessoa folgada. É aquele tipo de pessoa que faz corpo mole na esperança de que você faça por elas o que é dever delas. Não é uma pessoa preguiçosa (que também é de matar!), pois a preguiçosa, cedo ou tarde, acaba fazendo ou acaba não fazendo. A folgada quer que você faça por ela! É da mesma laia daquele que fura fila.

Bônus: 6 - Pessoa que coloca nos outros a culpa pelos seus problemas. É aquele tipo de pessoa que se acha vítima da vida. A culpa por seus problemas nunca é dela, e sim dos outros. Vive se comparando aos outros pra justificar suas derrotas. Por que não assumem seus erros e correm atrás do prejuízo? “Ó vida, ó azar!”

Eudes, valeu pela indicação! Demorei, mas estou repassando a brincadeira para os colegas abaixo (quero ver se ficam irritados também...):

Ora bolas, mas que diabos!

Lesados em geral

Conhecimento dinâmico

Blog da Graziela

Um comentário:

Barbara disse...

Quanta honra por sua atenção!
Tá cumprida a brincadeira.
Obrigada e apareça sempre - você esteve sumido!