quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Cenas inesquecíveis do cinema - parte 1

Nunca tivemos aparelho de vídeo cassete ou de DVD lá em casa. Ir à locadora, portanto, era algo que eu nunca fazia. Ao cinema, então, eu só fui aos 23 anos de idade, e assim mesmo de tanto o saudoso amigo Giovani insistir. Não sei se preciso dizer, mas fiquei encantado. Senti-me como uma criança descobrindo o mundo. O filme? Bem, era um tal de “De olhos bem fechados”, protagonizados pelo então casal Tom Cruise e Nicole Kidman. Na época o filme gerou polêmica em função de algumas cenas de nudez que apresentava. No entanto, uma das cenas deixou-me completamente abalado, mas para entende-la é preciso contar um pouco do filme.

No filme, Tom Cruise interpretava um médico cuja especialidade era clínica geral e que vivia em função do trabalho. Seu sucesso contrastava com o de sua mulher, uma artista plástica que acabara de ficar desempregada em função do fechamento da galeria de arte onde trabalhava. Os dois vão a uma festa oferecida em uma mansão por um dos pacientes ricos de Tom Cruise. Os dois acabam indo para cantos opostos da festa e em pouco tempo são assediados, ela por um homem galanteador mais velho, ele por duas belas modelos. No momento em que as modelos estão quase conseguindo seduzi-lo e leva-lo para um lugar mais íntimo, o dono da festa solicita sua presença no primeiro andar da mansão. Ao adentrar o quarto, ele se depara com uma prostituta nua, que desmaiou por ter feito uma combinação inadequada de drogas e álcool. Enquanto o médico interpretado por Tom Cruise faz o que pode para acordar a prostituta, sua esposa está completamente embriagada e se esquiva como pode dos encantos do homem mais velho, que a esta altura já é sua companhia de dança.

Já de volta às suas casas, a personagem de Nicole Kidman enrola um “baseado” e começa a fumá-lo. Desenrola-se então um dos diálogos que, na minha opinião, é um dos mais fortes de todo o cinema. Ela pergunta por que ele não transou com as modelos, ele responde que não tinha motivos, pois os dois eram casados, tinham uma filha e que ele a amava. Ela retruca e o coloca contra a parede, concluindo que ele queria transar com as modelos, mas não o fez por sua causa. Ele então pergunta o que o homem mais velho queria com ela. Ela responde que ele queria sexo. Ele responde que é compreensível. Ela se irrita e, inconformada, pergunta se ele não tem ciúmes. Ele responde que não, pois sabe que ela jamais o trairia. A personagem de Nicole Kidman começa então a rir, e o faz durante uns 15 segundos. Durante o tempo em que ri o espectador vai ficando de queixo caído, pensando: “Putz, ela o traiu!” O resto do filme é igualmente intrigante, mas não vou conta-lo para que quem ainda não o assistiu, possa verificar por si mesmo. Foi essa a primeira das cenas que mais me marcaram no cinema. Foi assim que despertei para a sétima arte.

Nenhum comentário: