domingo, 11 de julho de 2010

O caso Bruno e Eliza

-->
Nos últimos dias o caso do goleiro do Flamengo, que supostamente mandou assassinar a amante, tem sido a bola da vez da mídia brasileira. Não há noticiário da televisão ou página de notícias da internet que não tenha abordado o assunto com riqueza de detalhes. Mais uma vez a imprensa brasileira atua de forma a deixar a população bem informada – e, por que não dizer, intencionalmente chocada? Diante de tantos detalhes, é inevitável que cada brasileiro construa sua versão dos fatos. Eis aqui a minha.
Ele, o goleiro Bruno do Flamengo, parece ter vindo de família muito pobre. Dizem que em nosso país há quatro maneiras de um menino pobre melhorar de vida: estudando, jogando futebol, ganhando na loteria ou traficando drogas. O goleiro, pelo que parece, já acumulava R$150.000,00 mensais jogando como goleiro do time de maior torcida do país. É natural que com o dinheiro venham também as más companhias (que naturalmente vão explorar o “lado negro da força”) e a vontade de usufruir erroneamente do poder que ele o traz. Mesmo casado e com filhos, o tal goleiro passou a promover “festinhas”, onde ocorriam orgias com garotas de programa. Eis que numa dessas festas o goleiro conhece ela, Eliza Samudio, moça pobre que se mudou para os grandes centros em busca de riqueza. Dizem que em nosso país há quatro maneiras de uma mulher pobre melhorar de vida: estudando, ganhando na loteria, tornando-se modelo, mostrando a bunda na televisão ou aplicando o chamado “golpe do baú”. Eliza parece ter tentando ganhar a vida como modelo e como atriz pornô, e mesmo não tendo enriquecido, parece ter se tornado bastante “solicitada” entre jogadores de futebol. Eis sua grande chance de aplicar o “golpe do baú”: engravidar de um boleiro famoso e dele arrancar uma boa pensão mensal. Eliza acabou engravidando de Bruno, mas o (ex)goleiro não apenas se recusou a aceitar a paternidade, como também deu uns tapas na moça e pediu pra que ela abortasse. Raivosa, a moça foi à imprensa e denunciou o goleiro, manchando sua imagem.
O que se segue a partir daí ainda precisa ser esclarecido. De qualquer forma, há fortes evidências de que o goleiro pagou para alguém executar a moça. Bruno está detido provisoriamente e será julgado, podendo pegar até 30 anos de cadeia (o que duvido que vá acontecer, principalmente tendo ele o dinheiro que tem). Suas imagens, mostradas exaustivamente na televisão, mostram-no trajando o macacão laranja de presidiário. O rapaz mantém sua arrogância, com o queixo sempre reto e sem olhar para baixo. Deve saber que em nosso país “nada dá nada”, que vai certamente sair impune desse crime e que em quatro ou cinco, na pior das hipóteses, estará novamente em liberdade.
De tudo isso, fica uma reflexão: por que moças e rapazes não escolhem o estudo como forma de melhorarem de vida? Por que nesse país todo mundo, inclusive os jovens, escolhe o caminho mais fácil? Será que se esquecem que o caminho mais fácil é sempre o mais perigoso?

Nenhum comentário: