quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O tempo não poupa ninguém


Aqui em casa não assinamos jornal. Aliás, ao longo de minha vida houve apenas duas épocas em que eu costumava ler jornais. Uma delas foi nos anos 90, quando a tia Vânia e o tio Natal assinavam o Estadão. A outra foi durante a pós-graduação, quando todos os moradores da casa de estudantes rachávamos o valor da assinatura da Folha de São Paulo. Em outras palavras, eu não leio jornal faz um bom tempo. Minhas fontes de notícias são o UOL e o Yahoo. Passo sempre por lá, leio os títulos das reportagens e clico em algum que eventualmente me interesse.
Eis que agora, às 22h55min, enquanto eu acessava a página do UOL, surge esta foto aí acima, com a chamada “Schwarzenegger e Stallone se encontram na fila de operação”. Stallone é conhecido pela geração de hoje pelo filme “Os mercenários”. Já Arnold Schwazenegger não estrela um filme já faz alguns anos. Andou afastado do cinema por causa de seu mandato como governador do Estado da Califórnia.
O fato é que esses dois caras inspiraram uma geração inteira de jovens na década de 80. Schwazenegger, eleito três vezes Mister Universo – logicamente, não pela beleza facial, mas por ser na época um fisioculturista – estrelou clássicos como “O predador”, “O vingador do futuro” e “O exterminador do futuro”. O segundo filme da franquia do exterminador é o meu preferido. A cena em que ele carrega uma arma em uma caixa com rosas é uma verdadeira obra de arte.
Assim como Schwazenegger, Silvéster Stallone nunca foi um bom ator, mas teve a sorte de estrelar os filmes da série “Rambo” e “Rocky Balboa”. “Rocky, um lutador”, foi o filme ganhador do Oscar no ano em que nasci. “Rocky II, a revanche”, continuação do primeiro, é uma lição de superação. Aliás, todos os filmes da série Rocky são excelentes – com exceção de Rocky V, que não deveria sequer existir.
Deixando meu lado cinéfilo de lado, a foto acima levou-me a refletir sobre dois pontos principais. O primeiro deles é que estes dois homens representaram o modelo de masculinidade da minha geração. Sim, os caras eram nossos heróis! Na época, se alguém soubesse que você não assistiu a um Rocky ou a um Exterminador, certamente achariam que há algo de errado com a sua masculinidade. Obviamente os tempos eram outros.
Se você, caro leitor, nasceu no final dos anos 80 e nunca assistiu a nenhum dos filmes que mencionei – o que, pra ser sincero, acho pouco provável – talvez olhe a foto desses dois senhores de idade e não entenda o que estou querendo dizer. Por isso – e aqui me refiro ao meu segundo ponto de reflexão – quero que entenda uma coisa: todos envelhecem. Inclusive o Stallone, o Schwarzenegger e o Clint Eastwood.

Um comentário:

Graziela disse...

Nossa, nossa nossa... nos estregamos nossa idade assim, falando dos caras que estao envelhecendo (tao bem ou nao).
Assisti e assisto ainda os filmes dos dois (aqui reprisa direto e meu marido adora, eu tambem gosto).
Mas seu lembrete para o curso natural da vida, foi pontual. Todos nos envelhecemos, uns melhores que outros mas envelhecemos.
Nao tenho medo e quero sim envelhecer (como estou caminhando para) naturalmente. Sou feliz assim.
Abracos
Gra