segunda-feira, 2 de julho de 2012

Maldição sobre duas rodas

     Trânsito é algo que sempre mexe com meus nervos. E olha que eu moro em uma cidade pequena, com aproximadamente 60 mil habitantes. Não é nenhuma metrópole, nem tampouco há engarrafamentos gigantescos. Aqueles longos engarrafamentos que são mostrados diariamente nos noticiários certamente ter-me-iam causado um infarto há tempos. Mesmo assim, o trânsito é algo que me tira do sério.
Como eu já mencionei aqui algumas vezes, há motoristas folgados, daqueles que cortam sua frente, aparentando pressa, mas que após isso transitam a velocidade de tartaruga. Isso é tão irritante quanto aqueles apressadinhos que praticamente encostam seus carros na traseira do carro da frente, dão sinal de luz, mais parecendo uma ambulância com um paciente em estágio terminal que um automóvel comum. Mas nada, absolutamente nada é mais irritante e perigoso que os seres que trafegam sobre duas rodas.
Desculpem-me, mas eu não estou exagerando. Já atropelei duas bicicletas e uma moto. E adivinhem? Eu não estava errado em nenhuma delas. As duas bicicletas que atropelei trafegavam na contra-mão e surgiram do nada quando eu me certificada de que não vinha nenhum carro no sentido da rua em que eu ia virar. Quanto à moto, um caminhão dirigia lentamente. Percebi que daria tempo de atravessar a rua. E realmente daria, não fosse um entregador que ultrapassou o caminhão em alta velocidade pela direita. Graças a Deus não houve morte nem tampouco feridos em nenhum dos três acidentes.
Pois vejam como são as coisas. Hoje eu trafegava pela avenida calmamente, curtindo uma música do Bee Gees, com o meu filho no banco de trás. De repente, avisto um Uno pelo retrovisor tão colado na traseira que parecia querer entrar no porta-malas. Decido então mudar para a faixa da direita. Quando o faço, quase atropelo um mototaxista, que surgira do nada em alta velocidade, ultrapassando pela direita... Foi por poucoo, por muito pouco.
Não serei tão radical quanto o papai e dizer que odeio motoqueiros e ciclistas. No entanto, temo que algum dia eu me envolva em algum acidente de trânsito com algum ciclista ou motoqueiro que possa vir a causar a morte de algum deles. Sinto como se fosse uma “maldição” me perseguindo sobre duas rodas. A única coisa a fazer é redobrar a cautela. E rezar muito.

2 comentários:

Ana Claudia disse...

Neste momento estou procurando informações a respeito de maldições que envolvem acidentes. Dirijo a 22 anos e até junho deste ano nunca havia me envolvido em acidentes de transito. Troquei de carro em janeiro deste ano, e em junho houve dois acidentes com moto. Desde então meu carro parece um imã para motos, constantemente elas aparecem derepente, quase causando outros acidentes. Também rezo todas as vezes que estou dirigindo, e hoje mesmo uma moto passou de raspão. Não aguento mais, parece maldição. Vou buscar ajuda espiritual.

Antônio Crotti disse...

Oi Ana Cláudia,
Eu não sei qual é o problema com os veículos de duas rodas. São pequenos e têm maior mobilidade, talvez por isso não se importem muito com as leis. Desejo sorte a você e a todos no trânsito!
Abraços,
Antônio