domingo, 14 de outubro de 2012

Crônica 11: Cuidado com o que você pede


Era tarde da noite. Henrique não conseguia pegar no sono. Um turbilhão de idéias o incomodava. Estava passando por um período difícil. Henrique sabia que não era um gênio, mas soube associar seu potencial mediano à enorme vontade de vencer para construir uma carreira vencedora. Ele havia elevado os lucros de sua empresa a patamares excelentes. No entanto, ele não se sentia em paz. Havia sido demitido uma vez daquela mesma empresa no início de sua carreira. Por isso, Henrique sonhava em ir para outra empresa, maior e mais consolidada.
Certa vez surgiu uma oportunidade de emprego em uma grande empresa. Henrique concorreu à vaga, e dentre as centenas de candidato, ficou em segundo. A tristeza dele foi enorme. Durante meses ele havia projetado sua vida no futuro trabalhando naquela grande empresa. Pensou em todas as possibilidades. Tudo em vão. Henrique estava desapontado. O tempo, o grande curador de todos os males, fez com que ele se recompusesse rapidamente e retomasse suas atividades normais. Afinal, ele estava empregado e não tinha, pelo menos por enquanto, razões para reclamar.
Dois anos se passaram e Henrique viu em uma outra grande empresa a oportunidade de construir seu futuro. Havia novamente apenas uma vaga. Aquela vaga, aquela sim, parecia-lhe ser bem melhor que a que ele pleiteou anteriormente. Após analisar, sentiu certo alívio por não ter sido selecionado para aquela outra vaga. “Aquela vaga certamente não era pra ser minha”, tentava conformar-se enquanto se preparava para a série de testes a que ia submeter-se.
Na semana em que os testes estavam sendo realizados, Henrique soube que o candidato que havia sido selecionado no teste anterior desistiu da vaga. O convite para a vaga que Henrique tanto sonhou chegou por meio de um telegrama enquanto ele estava na sala de espera para a entrevista final para a vaga que ele agora queria. A vaga que por tanto tempo lhe interessou surgira agora em um momento curioso: ele já não a desejava mais. A vaga que ele tanto sonhou... A oportunidade estava em suas mãos. Quando fechou o envelope, Henrique foi chamado para a entrevista final. E agora, o que fazer?
Moral da história: Cuidado com o que você pede. Cuide-se para estar preparado para receber aquilo que você está pedindo. Se não estiver, não peça. Não sonhe com algo bom que algum dia pode tornar-se realidade e não lhe parecer tão bom.

Nenhum comentário: