domingo, 11 de novembro de 2012

Crônica 12: Mulher tem que ser gostosa! Ou bonita?


Leonardo e Flávio eram amigos de infância. Estudaram nas mesmas classes durante o colégio e ensino médio, prestaram juntos o serviço militar e viajaram lado a lado no ônibus durante os quatro anos de faculdade. Apesar de tanta cumplicidade, os dois tinham personalidades bem diferentes e opiniões diferentes, principalmente no que diz respeito às mulheres. Flávio era um típico “nerd”. Era chamado de “bitolado” nos tempos de colégio. Filho de pais pobres e conservadores, sempre viu nos estudos uma oportunidade de vencer na vida. Era magro, tímido, usava óculos de grau. Discreto, era fácil para ele entrar e sair de um ambiente. Já Leonardo era o “boa pinta”. Filho de uma família tradicional, alto e com corpo mais atlético, ele era capitão do time de handebol da escola. Sempre foi um rapaz muito popular, benquisto por todos e muito brincalhão. Todos o queriam por perto.
Os dois amigos de longa data estavam naquela noite em busca de uma companhia feminina. Flávio saíra de um relacionamento curto e estava um pouco desapontado com as mulheres. Não se julgava um cara e sorte e achava que nunca encontraria sua outra metade. Já Leonardo havia tido várias metades. Não se prendia facilmente a uma única mulher. Sempre saía acompanhado de um bar, e no outro dia sempre tinha novas aventuras para contar sobre a noite anterior.
Após algumas horas lembrando fatos da infância, Leonardo avistou duas moças.
- Meu, olha aquela maravilha ali próxima àquele pilar! – exclamou Leonardo.
Flávio ajeitou os olhos e, discretamente, olhou para a direção indicada por Leonardo. Permaneceu quieto por alguns segundos.
- Meu, cê tá vendo o que eu tô vendo, cara?
Flávio permanecia quieto. Não conseguia dizer uma palavra. Parecia hipnotizado. Após a insistência do velho amigo, resolveu manifestar-se.
- Léo, você tem razão: que morena linda!
O amigo ficou inconformado.
- Cê tá louco, Flavim? Eu tô falando daquela loiraça popozuda, não da magrinha que está ao lado dela. Meu, olha o tamanho da bunda aquela mina! E aqueles peitos? Que mina gostosa!
- Eu tô pirado, sim, Léo, mas é naquela morena. Olha que rosto perfeito!
- Cê tá de sacanagem, né, Flavim? Quem quer saber de rosto, cara? A mulher tem que ter é peitos grandes, pernas grossas e uma bunda gigante. Na hora “H” é isso que importa! Rosto não atrapalha; você coloca um travesseiro ou apaga a luz, e tá tudo certo! E dando uma risada, colocou a mão sobre o ombro do amigo.
Flávio riu da reação do amigo.
- Você não tem jeito mesmo, seu maluco! Cara, essa loira aí nem é loira! Dá pra ver que o cabelo dela foi descolorido. Olha as raízes escuras! E esses peitos... Certeza que isso aí é silicone! E te falo mais: esse cabelo liso aí é chapinha.
- Porra, Flavim! Às vezes cê me deixa preocupado, mermão! Homem que é homem não fica reparando nessas coisas, não. Mulher que é mulher tem que ser é gostosa, e ponto final! Essa aí mesmo, entre quatro paredes, deve ser um espetáculo!
- O que eu tô querendo te dizer é que uma mulher bonita tem que ter o rosto bonito. O corpo cai com o tempo, cara. As "gostosonas" de hoje serão as obesas do futuro. É por isso que eu te falo: aquela morena ao lado da loira tá me deixando “caidaço”...
Os gostos daqueles dois amigos por mulheres sempre foram distintos. Talvez por isso fossem amigos há tantos anos. De repente, Leonardo teve uma idéia.
- Flavim, escuta só, cara: que que cê acha da gente chamar essas duas pra se sentarem aqui com a gente? A gente paga umas bebidas pra elas, troca umas idéias e se dá bem no fim da noite. Topa?
Flávio balançou a cabeça, como se não tivesse outra opção.
Muito descolado, Leonardo pegou um copo de cerveja, levantou-se e o esvaziou em poucos goles pra tomar coragem. Seguiu então em direção às duas moças, e com poucas palavras, convenceram-nas a irem se sentar à mesa com eles.
Nos minutos que se passaram, Leonardo iniciou uma conversa direta com a loira, chamada Tiffany. Elogiou seu cabelo, perguntou se ela era modelo. A loira ficou toda inchada. Flávio iniciou uma conversa leve com Juliana, a amiga morena de Tiffany. Era uma moça simpática. De perto era ainda mais encantadora.
Após pouco mais de 20 minutos de conversa, Léo levantou-se de mãos dadas com Tiffany, abriu a carteira, deixou uma nota de R$100,00 sobre a mesa e despediu-se do amigo, que já arrancava sorrisos de Juliana.
No dia seguinte, Leonardo ligou para Flávio.
- E aí, Flavim, beleza?
- Beleza, Léo! E aí, tudo jóia?
- Aqui tá tudo firmeza. Contaí: como foi a sua noite com a Juliana?
- Pô, minha noite terminou por volta das duas horas, quando deixei-a em casa.
- E aí, cê comeu ela?
Flávio riu da falta de jeito do amigo.
- A gente ficou. Demos uns amassos apenas. A gente tá namorando.
Léo ficou inconformado.
- Cara, só você mesmo... Você deve ser o único cara no mundo que ainda respeita as mulheres. Ainda vão achar que você é viado!
- E você, como foi com a Tiffany?
- Bom, se você quer saber, a noite foi maravilhosa!
- Vocês estão namorando também?
- Namorando? Cê tá é doido!
- Mas por quê? Você não tá me dizendo que a noite foi maravilhosa?
- Quando disse que a noite foi maravilhosa, tô querendo dizer que a gente transou muito.
- Tá, beleza. Mas, tipo, que horas você a levou em casa?
- Em casa? Léo, vou te contar, cara... Eu apaguei! Quando acordei no outro dia e olhei para o lado, levei um susto: a mulher estava com um tamanho de cabelo... A maquiagem dela tinha ido pros vinagres. Que mulher horrível! Tipo, ela até que é simpática, mas não dá nem pra olhar direito no rosto dela de tão feia...
- Ora, você não disse que mulher não tem que ser bonita, tem que ser gostosa?
- Mas ela é bonita. Só que só de corpo.
- Vocês vão ser ver de novo? Vai ligar pra ela?
- Cara, se eu topar com ela de novo na balada, pode até ser que role. Mas andar de mãos dadas com ela de dia não dá, não...
Flávio conteve o riso.
- Mas e a bunda dela? E os peitos?
- Cumpadi, eu sei onde você quer chegar: você quer que eu concorde com você, que um rosto bonito é fundamental em uma mulher, né?
- Não, Léo. O que estou querendo dizer é que um rosto bonito vai despertá-lo como um homem, e que um corpo bonito vai apenas despertar o animal que existe em você.
- Putz, lá vem você de novo com essas teorias baratas. Mulher tem que ser é gostosa e safada, cara!
Flávio riu.
- E por que é que na manhã seguinte você não olhou nos olhos da Tiffany e disse pra ela o quanto ela era gostosa?
Um silêncio se fez ao telefone. 

3 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal sua historia, gostei mesmo. Mario

Antônio Crotti disse...

Obrigado, Mario! Volte sempre que puder. Abraço!

Phamella disse...

Muito legal.kkk
Saber da opinião masculina.
Voce me descreveu como a personagem juliana,me sinto mais aliviada kkk
mesmo assim,obrigada por me levantar minha auto estima.