quarta-feira, 8 de maio de 2013

O concurso - parte 3

Terça-feira, 19 de fevereiro. 13h52min. Entrego a prova e deixo a sala. Estou exausto e faminto. Minha mão está com câimbras. Sigo em direção à cantina. Vou comer algo rapidinho, pois logo vai começar a leitura das provas. Escolho algumas folhas de alface e uns pedaços de salsicha. Sento-me com uma das candidatas e comentamos sobre  a prova. Ela se espanta com o número de páginas que escrevi. “Você já levou”, diz ela. Sempre contrário a este tipo de pensamento, eu a refuto imediatamente: “Não diga isso. Ninguém sabe o que pode acontecer. Nem sempre quantidade é sinônimo de qualidade.”
14h30min. É minha vez de ler a prova. Eu me sento, raspo a garganta e começo a leitura. Em pouco mais de 15 min eu termino as 20 páginas. Os membros da banca agradecem e pedem pra chamar o próximo candidato.
15h40min. Após uma longa espera, somos chamados para a divulgação das notas. Estou ansioso. Afinal, era um tema que eu não havia estudado em detalhes. Além disso, eu gostaria taaaanto de passar nesse concurso... Para mim seria um verdadeiro sonho!

As notas são divulgadas. Dentre os cinco candidatos, apenas uma candidata e eu somos selecionados. As demais candidatas se despedem e nos desejam boa sorte. Amanhã devemos retornar para arguição do memorial... Uma batalha já se foi, mas a guerra está longe de terminar..
(to be continued...).

Nenhum comentário: