domingo, 8 de setembro de 2013

Carta ao meu segundo anjinho

Meu querido bebê,
Você está na barriga da sua mamãe há mais de 30 semanas. O corpo de sua mamãe tem reagido diferente da gravidez anterior. Não surgiram manchas na pele da sua mamãe, como ocorreu na gestação do seu irmãozinho Miguel. Você já parece reconhecer minha voz. Às vezes, quando falo próximo à barriga da sua mamãe, você se mexe e faz ondas na barriga da sua mamãe. Eu espero que você seja uma criança tranquila e educada, que nasça saudável e que nós consigamos dar uma boa educação a você. A esta altura, com a experiência que estamos adquirindo na educação do seu irmão, já posso dizer que será uma missão difícil, principalmente nos tempos atuais. As pessoas são, em sua maioria, egoístas, são mal-educadas e ríspidas. Por isso, se você souber dizer “desculpas”, “por favor” e “obrigado”, você será alguém que as pessoas gostarão de ter por perto. 
Outro dia sua mamãe foi comprar roupas para você. A princípio, nós não víamos problemas em você usar algumas roupinhas do seu irmão, mas você terá que ser suas próprias roupas também. Ao tocar neste assunto e ao mencionar seu ainda pequeno irmãozinho, sinto necessidade de deixar algumas palavras pra você ler daqui a alguns anos – não sei necessariamente a quantos, pois as crianças estão amadurecendo cada vez mais cedo...
Assim como ocorreu com sua tia Hérica, você virá ao mundo já tendo um irmão. E assim como eu, seu irmão Miguel é que estará aguardando sua vinda. Por ter sido o primeiro, ele tem tido até então a atenção de todos. Quando você nascer, as atenções se dividirão. Isso será um choque para ele, assim como foi para mim. Por outro lado, será um aprendizado para ele, pois ele terá que aprender a dividir o espaço, o amor e a atenção com você. Aliás, vocês terão que aprender a dividir as coisas e a se respeitarem. Eu espero, sinceramente, que vocês sejam os dois melhores irmãos do mundo e que sejam dois filhos maravilhosos. Quero que se dêem bem e que se amem um ao outro. Não quero que se prendam a coisas materiais, que disputem entre si pra ver quem tem mais brinquedos ou coisas do tipo. Pelo amor de Deus! Vocês são, sim, filhos dos mesmos pais e são sangue do meu sangue, mas desde a gestação são únicos. Haverá, obviamente, algumas características que eu gostaria que vocês tivessem em comum, como a educação, a vontade de estudar, o senso de responsabilidade, o respeito pelas pessoas e a aptidão por fazer atividades físicas. Isso, porém, é algo pelo qual eu posso apenas rezar, sem esperança de ser atendido. Afinal, a cada comparação que fizerem entre vocês, a tendência é que vocês, desnecessariamente, busquem fazer o contrário para reforçar que são diferentes. Eu não sei por que as pessoas tendem a se comparar umas às outras, em dizer quem é bom e quem é ruim. Essa classificação é, na maioria das vezes, tendenciosa e tem a intenção de colocar você e seu irmão um contra o outro. Não deem ouvidos a isso, por favor!. De qualquer forma, eu gostaria que você amasse muito o seu irmãozinho e que tivesse paciência com ele. Nós estamos conversando com ele e o estamos orientando a tratar você muito bem. Ele o fará, mas precisamos da sua colaboração pra que esse bom tratamento seja mútuo.
Quero terminar esta carta dizendo que você já é uma bênção em nossas vidas. Ser seu pai será uma grande honra, e por que não dizer, uma das maiores lições de minha vida. Estou muito ansioso e espero não cometer na sua educação os mesmos erros que seu avô cometeu na educação de sua tia. Por isso reforço que criar-te e educar-te será um grande aprendizado, pois não tenho muitos modelos a seguir. Só o tempo dirá se nós fomos bem-sucedidos.
Na época da gestação de seu irmão, a maioria de meus colegas na época dizia que ser pai de menina era melhor que ser pai de menino. Talvez dissessem isso porque fossem pais de meninas e, em razão disso, reforçavam os pontos positivos. Após o nascimento do seu irmão, eles continuavam dizendo a mesma coisa, principalmente reforçando que as meninas são mais carinhosas. Pois bem. Deus concedeu-me a bênção de ser agora seu pai, minha querida Alice. Você levará o nome de minha tia avó, uma pessoa muito amável e honesta, de quem nós sentimos muita saudade. Você atenderá o mesmo número de telefone que ela atendeu, que seu vovô herdou e me deu de presente. Espero não decepcioná-la como pai, e da mesma forma, espero que você não nos decepcione.
Nos falamos em breve, minha querida filhinha...
Nós te amamos muito, meu pequeno anjinho!
Com amor,
Papai

Nenhum comentário: